Feedforward: o que é, propósito, características e como fazer

Equipe TOTVS | 10 maio, 2022

Que o feedback é uma técnica essencial para a melhoria contínua de seu negócio, não é novidade. No entanto, existem outros métodos avaliativos que podem ser bastante úteis — o feedforward é um deles!

Enquanto o feedback tem como foco avaliar o desempenho e comportamento dos colaboradores e indicar pontos fortes e fracos, o feedfoward procura demonstrar ao profissional quais competências ele precisa desenvolver para atingir seus objetivos.

Mas veja bem: a ferramenta não é aplicável apenas a profissionais, mas a todo ecossistema corporativo: setores, líderes, projetos e processos.

Todos podem se aproveitar de uma cultura rica e baseada em melhoria contínua — que visa tanto consertar os problemas, como desenvolver novas competências, habilidades e possibilidades.

Aliás, esse é um dos pontos essenciais para que o seu negócio se mantenha competitivo!

Que tal aprender mais sobre o assunto? Nesse guia completo, explicamos o que é feedforward, como aplicá-lo e muito mais. Boa leitura!

O que é feedforward?

Feedforward é um método avaliativo que visa esclarecer ao profissional quais habilidades e competências ele precisa desenvolver, visando seu sucesso futuro. É o “contrário” do feedback.

Ou seja, enquanto o feedback contextualiza-se no passado recente para compor uma avaliação de desempenho do profissional, o feedforward visa analisar os pontos fracos do seu perfil e estipular um direcionamento para o futuro.

No contexto corporativo, esse método tem grande aplicação no desenvolvimento de planos de carreira, servindo como base para entender quais soft skills precisam ser desenvolvidas pelo profissional.

Quando essa técnica surgiu?

Agora que você sabe o que é feedforward, é hora de entender suas origens. Ele foi desenvolvido por Marshall Goldsmith, executivo, autor e especialista em gestão de negócios.

Hoje, Goldsmith oferece serviços de coaching para CEOs e executivos de grandes empresas, incluindo aquelas presentes na lista Fortune 100.

Uma curiosidade é que, entre suas publicações, há um quadrinho sobre feedforward, misturando ilustrações cartunescas com uma explicação baseada em storytelling do porquê usar esse método.

Interessado? A versão em inglês está disponível na Amazon e foi publicada originalmente em 2012.

Ao procurar sobre o assunto, você possivelmente vai se deparar com outros autores e publicações sobre o assunto.

É o caso de Joe Hirsch, que publicou o livro: The Feedback Fix: Dump the Past, Embrace the Future, and Lead the Way to Change (Amazon), de 2017.

Conforme entrevista de Hirsch para o blog Cult of Pedagogy, há algo de errado com o feedback:

“As pessoas não podem controlar o que não podem mudar, e não podemos mudar o passado. E esse é o foco da maior parte do feedback que damos ou recebemos.”

Em seu livro, Hirsch estrutura o conceito como um método baseado em 6 pilares, que ele intitulou de REPAIR (Regenera, Expande, Particular, Autêntico, Impactante, Refina).

Pode ser considerado como:

  • É algo que regenera o talento;
  • É algo que expande possibilidades;
  • É particular;
  • É autêntico;
  • É impactante;
  • É capaz de refinar dinâmicas de grupo.

Vale lembrar, no entanto, que essa é apenas uma interpretação sobre como aplicar o feedforward. 

Como funciona o feedforward?

E, afinal, como aplicar o feedforward? Bom, assim como o feedback, não existe apenas uma maneira de colocar esse método em prática. Na verdade, depende da cultura organizacional.

O método pode ser conduzido pelo seu time de RH, por exemplo, responsável pelo treinamento, qualificação e avaliação de desempenho dos funcionários.

Além disso, pode ter a participação (em vários níveis) dos líderes de setores, de modo que conte com seu insight e que haja uma conversa frontal sobre o que deve ser melhorado.

E em alguns ambientes corporativos, especialmente onde a cultura de inovação é incentivada, acontece como uma dinâmica de grupo.

Ou seja, uma conversa realizada em pequenos grupos (com interesses/responsabilidades em comum), mediada pelos líderes, em que o diálogo é incentivado, com objetivo de se levantarem os principais pontos que devem ser evoluídos.

Mas há um aspecto essencial a se considerar: o feedforward baseia-se na ideia de que é necessário identificar tudo aquilo que deve ser melhorado no profissional.

E esse é um aspecto que não deve se basear no desempenho recente do colaborador, mas em seus objetivos e metas e no que falta para alcançá-los!

Qual o propósito do feedforward?

Quando aplicamos o feedforward, o objetivo é ter uma nova abordagem para as avaliações de desempenho. Assim, sua empresa pode fornecer sugestões focadas no futuro, com a intenção de apoiar o sucesso.

Percebe a diferença para o feedback? Este é de natureza corretiva, concentrando-se no passado e no que já ocorreu.

A ideia é que, ao focar em soluções, incentiva-se a criação de um mindset expansivo, centrado nas possibilidades de crescimento, capaz de motivar o profissional no sucesso do futuro.

Sem que haja um foco exagerado no passado e nos erros realizados.

Sendo assim, na prática, há um incentivo constante para que os envolvidos tentem novos jeitos e abordagens de lidar com problemas e atingir suas metas.

Além de compartilhar conhecimentos e estimular o trabalho em equipe, cria-se um ambiente de apoio, colaboração e respeito mútuo.

totvs rh

Quais são as principais características do feedforward?

E, afinal, o que realmente caracteriza o feedforward e sua aplicação em uma empresa? Bom, há alguns pontos que podemos mencionar, como:

Ajuda a estimular o potencial dos talentos

Percebeu como o feedforward tem um foco mais construtivo em vez de corretivo? Ele ajuda a estimular o potencial de seus talentos.

Isso quer dizer que o feedback é dispensável? Claro que não, mas há espaço para aplicar ambos.

Para uma empresa que visa desenvolver sua equipe e que tem um time repleto de novos talentos, há mais espaço para o feedforward do que para o feedback, concorda?

Com um olhar voltado ao futuro, sua empresa estimula o potencial de seus talentos, de modo que eles possam tentar, se arriscar e essencialmente inovar em suas atribuições diárias.

Estimula a visão para o futuro

Como o próprio nome indica, esse método tem maior foco no futuro.

Ou seja, ele implementa um olhar mais positivo, construtivista e otimista para os desafios futuros do negócio.

Afinal, onde a empresa quer chegar no fim do ano? E onde a empresa quer estar daqui a cinco anos?

O feedforward estimula a organização e seus líderes a focarem nos aspectos que vão levá-la adiante, otimizando seus processos com base no que se espera do futuro.

Promove autoconhecimento

Na prática, esse método promove maior autoconhecimento para os profissionais. Afinal, trata-se de uma prática que normalmente envolve o engajamento e a colaboração entre os colegas e também líderes.

É que em vez de focar nas falhas e nos problemas do passado, o feedforward estimula maior transparência sobre as competências de cada um.

Qual a diferença entre feedback e feedforward?

Quando nos perguntamos quais as principais características do feedback e do feedforward, é fácil apontar o principal diferencial: um foca no passado com um senso mais corretivo, o outro foca no futuro com um senso mais construtivo.

E, sim, o feedback pode criar uma certa sensação de arrependimento para quem é alvo da análise — especialmente se o desempenho foi abaixo do esperado ou permeado por erros.

Mas, veja bem, não estamos falando que o feedback não deve ser aplicado. Pelo contrário, é extremamente funcional!

No entanto, possui falhas — como qualquer ferramenta de gestão.

A questão é que o feedforward funciona como um contraponto ao feedback, com características que compõem a análise, aprofundando-a.

Feedback

O feedback é um método avaliativo que visa revisar o desempenho recente de um profissional, de modo a abordar seus pontos fortes e fracos nesse meio tempo. É mais eficiente se aplicado individualmente.

Assim, é possível fornecer uma visão crítica (não no sentido negativo, que fique claro) de sua performance, com foco nas oportunidades de melhoria.

Na prática, o feedback é muito bom para avaliar o desempenho de alguém, bem como reconhecer seus esforços e os resultados que alcançou.

Além disso, é uma ferramenta capaz de proporcionar uma “lupa” sobre os pontos problemáticos, tornando-os mais transparentes na hora da análise.

Feedforward

Esse conceito, no entanto, é o contrário: uma análise com atenção no futuro, para aquilo que pode acontecer, capaz de criar um senso de possibilidade e crescimento.

É um método que parte do princípio que não se pode mudar o passado, mas é perfeitamente possível influenciar o futuro.

Um ponto de divergência que pode ser ressaltado é que o feedforward não precisa ser aplicado individualmente, mas também (e preferencialmente) pode ser empregado em grupo.

Assim, em vez de focar em atitudes passadas, resultados alcançados ou erros cometidos, ele estimula a construção do profissional e de suas competências.

É um instrumento essencial para o desenvolvimento do capital humano e capital intelectual do negócio.

Quando aplicamos o feedforward?

O feedforward pode ser aplicado em diferentes momentos, mas especialmente em situações de direcionamento de carreira ou em treinamentos de equipe.

Pode ser utilizado em cenários em que a empresa quer construir e fortalecer sua cultura organizacional — olhando também para o futuro da organização.

Além disso, é uma ferramenta valiosa no enriquecimento da sua gestão de aprendizagem: ou seja, nos processos de criação, retenção, evolução e compartilhamento de conhecimentos próprios da organização.

Como fazer o feedforward?

Conforme mencionamos anteriormente, entender como aplicar feedforward não é exatamente como seguir um único modelo. Ou seja, não existe um roteiro e os exemplos variam bastante.

Em geral, para entender como aplicar o feedforward, podemos indicar que você faça o seguinte:

  • Foco no desenvolvimento: o intuito é apoiar o sucesso da outra pessoa, não fornecer feedback sobre algo no passado.
  • Seja colaborativo: assim como a sua visão do crescimento e desenvolvimento de outra pessoa pode estruturar o feedforward, a visão dela em relação a você também. É importante que seja uma troca — mesmo que os envolvidos estejam em níveis hierárquicos diferentes.
  • Seja específico: em vez de falar sobre ideias amplas, discuta comportamentos específicos que podem alcançar o resultado desejado.
  • Aplique o feedforward em tempo real: procure oportunidades para fornecer feedforward nas interações do dia a dia.
  • Seja insistente: as primeiras tentativas podem parecer desconfortáveis; por isso, teste diferentes abordagens e modelos de conversa.
  • Entenda as limitações: como mencionamos, não há uma ferramenta definitiva, e o feedforward possui limitações. Entenda como aplicar diferentes métodos!

Exemplos de feedforward

Exemplos de feedforward podem ser apontados em diversos momentos da rotina corporativa. Muitas vezes, líderes e colaboradores o fazem sem perceber. Que tal conferir algumas aplicações?

Digamos que Débora tenha realizado a apresentação de uma proposta comercial a um cliente em potencial e sua gestora tenha notado seu domínio do discurso.

Por isso, decide enaltecer essa características, entendendo que a mesma pode ser essencial para seu crescimento no setor comercial:

A sua apresentação foi concisa e eficiente, o cliente parece ter se convencido. Você ficou satisfeita com o resultado?

Agora, digamos que Débora tenha respondido que sim, mas que ficou insegura com o encerramento da apresentação. Para ela, faltou um ar mais vendedor.

E como você acha que isso pode ser melhorado nas próximas vezes?

Débora pode ter algumas ideias ou não. Para fins de exemplo, vamos supor que ela não saiba como resolver essa questão.

Sua gestora então aponta:

Já pensou envolver mais o cliente em potencial, conversando com ele e sentindo seu nível de entendimento e interesse? Pode ajudar a fazê-lo se sentir mais engajado na conversa — não atuando apenas como um ouvinte passivo“.

Débora concorda, apenas pontuando que precisaria encontrar uma forma de fazê-lo de modo a não tomar muito tempo.

Observe que o processo tratou-se da gestora focada em ajudar Débora e não em fazer um julgamento sobre sua apresentação.

Pense em seguir as seguintes etapas:

  1. O que correu bem;
  2. Como poderia ser ainda melhor;
  3. Para onde seguir.

Feedforward e gestão de pessoas

Na gestão de pessoas, não existe uma receita para o sucesso — mas ter em mente que melhoria contínua é o caminho pode ser a chave para que sua empresa se desenvolva.

Nesse sentido, aplicar o feedback ou feedforward pode ser essencial para que seus colaboradores se sintam acolhidos, reconhecidos e que sejam guiados para o melhor caminho futuro.

Como a tecnologia pode otimizar os processos no setor de Recursos Humanos?

E, sim, sabemos que muito do que se passa na gestão de pessoas e do setor de RH tradicionalmente era conduzido manualmente.

Mas veja bem: essa não é mais a realidade.

Empresas pequenas, com estruturas enxutas, até podem aplicar as medidas de gestão de capital humano manualmente, mas quando a equipe alcança a casa das dezenas, é essencial contar com a tecnologia.

Com um sistema para RH, sua empresa pode centralizar dados dos colaboradores e aproveitar de diferentes recursos para automatizar processos, como a avaliação de desempenho dos funcionários!

TOTVS RH Performance e Metas

Você sabia que é possível aplicar métodos avaliativos como o feedback ou feedforward com o TOTVS RH Performance e Metas?

Com o sistema de TOTVS, você pode otimizar a gestão de colaboradores e controlar seu desempenho, bem como o processo de qualificação.

Já pensou em aplicar o feedback ou feedforward de maneira geral em sua empresa, centralizando os resultados e acompanhando o avanço (ou retrocesso) dos funcionários em um dashboard inteligente?

Então, conheça todos os diferenciais e use o TOTVS RH Performance e Metas em seu negócio!

Conclusão

Se o feedback é a espinha dorsal para construir uma cultura organizacional forte, o feedforward compõem as pernas para que seu negócio possa se mover adiante.

Essa ferramenta é essencial no desenvolvimento de seus talentos, servindo de base para um clima positivo e otimista entre sua equipe.

No entanto, de nada basta querer inovar e não apostar na tecnologia!

É por isso que um sistema como o TOTVS RH Performance e Metas pode ser valioso para a sua empresa.Antes de finalizar, que tal seguir lendo nossos posts? Confira o que é análise competitiva, para que serve e sua importância!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.