O que é picking? Confira o guia sobre o processo logístico

Equipe TOTVS | 16 junho, 2022

Você já parou para pensar no processo que ocorre dentro do armazém depois que um pedido na loja virtual é feito? Para entender isso, é necessário compreender o que é picking, processo que garante que você receba aquilo que comprou.

Trata-se de um processo essencial dentro da cadeia logística de uma empresa — e é determinante para o sucesso da sua estratégia de vendas online.

Afinal, tanto se fala em conveniência, satisfação e experiência do cliente nos dias de hoje, que um mero erro no envio de um produto para o cliente pode gerar uma enorme dor de cabeça, bem como custos indesejados.

É por esse motivo que atualmente o picking é tão visto pelos líderes de um negócio, que buscam ativamente formas de otimizar os processos.

Por exemplo, você sabia que contar com um processo de picking completamente manual pode aumentar em 50% o tempo gasto com seleção e separação de pedidos? Foi o que a Conveyco descobriu.

Entender o que é picking, sua importância, os benefícios de modernizar o processo e como implementar as melhores práticas é, portanto, essencial para conquistar melhores resultados.

Felizmente, você pode conferir tudo aqui, em nosso guia completo sobre picking. Siga a leitura!

O que é picking?

Afinal, o que é picking na logística? É a separação de produtos listados em um pedido realizado em uma loja. Trata-se do primeiro estágio do atendimento ao pedido de um cliente, que precede a embalagem, envio e o pós-venda.

Um processo eficiente de picking (também chamado de “order picking”) deve ser capaz de garantir que o produto certo seja escolhido para cada pedido.

Os pickers (ou separadores de pedidos) trabalham de acordo com a demanda.

Digamos que Rafael trabalhe em um dos centros de armazenamento da Amazon e receba um pedido com diferentes itens: uma lente para câmera fotográfica, um cabo de força, um guarda-chuvas e dois vinis de música.

Ele vai precisar, com a lista em mãos, transitar pelo centro e coletar os itens corretos. Só então, é possível mandá-los adiante, para que sejam embalados.

Esse pode parecer um processo extremamente básico — e é mesmo! — no entanto, dependendo do negócio, quanto mais ágil, otimizado e moderno o picking, mais rápida a entrega ao cliente.

Qual a importância do processo de picking?

Uma vez que você entenda o que é picking, é necessário compreender sua importância para a empresa. Na prática, trata-se de um dos principais elementos por trás de uma boa (ou má) experiência do cliente.

A velocidade e a eficiência do processo de separação de pedidos podem afetar o tempo de entrega ao cliente, o que pode impactar na sua satisfação.

Hoje, é cada vez mais importante que empresas se atentem a esse ponto, especialmente em uma realidade em que a conveniência é tão importante.

Atender aos pedidos dos clientes com rapidez é uma obrigação — e o picking, como mencionamos, é o primeiro dos processos vitais após a conversão de um cliente.

Por isso, os esforços de uma empresa com um e-commerce ou marketplace não param apenas quando o lead converte, na verdade, é aí que eles começam.

No entanto, a seleção de pedidos é também importante pois representa uma fatia relevante da carga operacional dentro de um centro de distribuição e armazenamento.

De acordo estudo da Supply Chain 247, entre os principais desafios operacionais de um CD, as empresas listaram “equipamentos de armazenamento, coleta e manuseio desatualizados” como parte do top 3.

Além disso, conforme viu a Amware, o tempo dos selecionadores irem a pé de um ponto a outro para coletar os itens corretos pode corresponder a 50% do total de todo o processo.

Ou seja, sem práticas e tecnologias eficientes, sua operação fica mais lenta e os custos operacionais sobem.

Quais são os benefícios de realizar um bom picking?

Bom, você entendeu o que é picking, mas por que é tão necessário caprichar na sua execução? Basicamente, a sua empresa tem condições de alcançar e muitas vezes superar as expectativas dos clientes.

Além disso, falamos de uma prática que, quando bem feita, reduz os erros no envio de produtos, o que por si só é um problema considerável.

Se o picking não for bem executado e o produto errado ser encaminhado ao packing, há duas possibilidades:

  • o erro é verificado nessa etapa, o que ocasiona em um retrabalho;
  • o erro só é notado pelo cliente, que aciona a empresa e dá início a todo trabalho de logística reversa, gerando custos e impactando a relação com o cliente.

Em qualquer um dos casos, porém, os atrasos podem ser significativos o suficiente para prejudicarem sua cadeia logística.

Qual a diferença entre picking e packing?

Apesar da diferença de apenas uma letra, picking e packing são processos completamente diferentes, mas ainda relacionados ao atendimento dos pedidos ao cliente.

Agora que você entendeu o que é picking e que se trata da parte de seleção e separação de produtos para atender a um pedido, saiba que o packing lida com o empacotamento desses produtos.

Na tradução, packing significa justamente “empacotar” ou “embalar”.

Ainda se trata de um processo extremamente importante, pois é necessário seguir as melhores práticas de modo a garantir que os produtos sejam embalados de maneira assertiva e segura.

Como assim assertiva?

Basicamente, que um item pequeno esteja dentro de uma caixa ou envelope condizente com seu tamanho, evitando custos extras de frete — pois é algo que pode impactar no cálculo de cubagem.

Além disso, essa etapa também garante que os produtos estejam seguros contra danos, roubos e demais violações ao conteúdo original do pacote, assegurando que o cliente receba exatamente o que pediu.

Quais são os 5 tipos de picking?

Existem múltiplos tipos de separação de pedidos que uma empresa pode escolher.

Na prática, o centro de distribuição pode funcionar de diferentes maneiras, o que impacta seu processo de picking.

Que tal conhecer os principais? Separamos a seguir para você conferir, veja só:

1. Picking por lote

A separação por lote é um sistema no qual os profissionais responsáveis completam vários pedidos de uma só vez, reunindo um tipo de item por vez.

Este sistema funciona especialmente bem para empresas que têm vários pedidos do mesmo item.

Ou seja, digamos que o mesmo Rafael que mencionamos anteriormente esteja trabalhando no centro de armazenamento de um e-commerce de itens de acampamento.

Ao começar seu expediente, Rafael se depara com uma lista de 100 pedidos a separar, com 80 tendas, 40 varas de pescar e 20 canivetes.

Em vez de seguir pedido por pedido, Rafael separa os itens de acordo com o lote (ou o SKU), primeiro coletando as tendas do seu local no estoque, depois as varas de pescas e então os canivetes.

A vantagem é que reduz o tempo da operação, já que os pickers só visitam o local onde um item específico está armazenado uma vez.

2. Picking por zona

Já neste método, a empresa divide o armazém em zonas e cada separador se dedica a uma.

Existem diferentes maneiras de aplicar o método por zona, mas normalmente as zonas são ligadas por uma esteira com contêineres de coleta.

Assim, o contêiner passa em cada uma das zonas e os pickers apenas precisam alocar os itens de sua zona dentro do recipiente.

Esse sistema é útil para empresas com grandes volumes de pedidos, pois pode ajudar a manter o armazém organizado.

3. Picking discreto

Uma das estratégias mais simples e mais comuns de separação, a separação discreta refere-se a quando um picker trabalha em um pedido por vez na medida em que cada um entra na linha.

É ele quem coleta todos os itens de cada pedido, fazendo o serviço completar de seleção.

Normalmente, não há qualquer agendamento dos pedidos e o profissional pode escolher qual pedido ele irá separar com base em diferentes critérios, sem seguir uma ordem predefinida.

Esse método é melhor para pequenas empresas com baixas contagens de SKU e/ou pequenos centros de armazenamento.

Com o picking discreto, os funcionários se movimentam muito mais pelas instalações do que em outras estratégias.

Ainda assim, vale a pena? Bom, para micro e pequenos, sim! Apesar de exigir uma dinâmica logística mais movimentada, é um método útil para empresas com operação enxuta e sem condições de otimizá-lo com tecnologia.

4. Picking por onda

O picking por onda é muito semelhante ao método anterior, pois um picker trabalhar em um pedido por vez, buscando um item por vez.

A principal diferença é a janela de agendamento.

No picking discreto não existe uma janela de agendamento enquanto na separação por onda existe.

Os pedidos podem ser programados para serem retirados em horários específicos do dia (por isso, é chamado de separação por onda), o que geralmente é feito para coordenar e maximizar as operações de separação e packing.

5. Bucket Brigades

Partindo para um método mais recente e extremamente dinâmico, temos o Bucket Brigades, que pode ser traduzido como “brigada de baldes”.

É um termo um pouco confuso, mas vamos explicar para facilitar sua compreensão.

Imagine um centro de armazenamento que conta com diferentes prateleiras ou zonas de produtos estocados. Uma esteira carrega os pacotes com os itens, que são separados por pickers ao longo do caminho.

Em um método mais tradicional, é comum que cada picker se encarregue de um pedido e transite por toda a extensão da esteira, recolhendo os itens certos das prateleiras.

Acontece que, em uma operação de maior escala, esse trânsito de pessoas pode gerar congestionamentos, confusões, erros e atrasos.

Daí, surge o Bucket Brigade.

Nele, os pickers trabalham em linha na esteira com uma dinâmica de complementar o trabalho do outro.

Vamos a um exemplo?

Imagine que, em uma mesma esteira, trabalham Bianca, Jorge e Rafael.

Rafael é o último na esteira e normalmente quem finaliza o pedido e o encaminha para o packing.

Uma vez que ele finaliza sua etapa, no método Bucket Brigade, Rafael então se dirige ao posto de Jorge e toma sua posição, se encarregando de finalizar a separação do pedido.

Já o picker Jorge faz o mesmo com Bianca, complementando a separação e seleção de itens do momento em que a colega parou.

Ela, por si só, poderá voltar ao começo da linha e iniciar a separação de um novo pedido.

Trata-se de um método que mantém a produtividade dos funcionários alta, bem como evita que eles cruzem caminhos e se mantenham em “zonas”.

Ou seja, é uma estratégia que cria um fluxo de trabalho autorregulado.

Como é composto o processo de picking de um produto?

Muito embora existam diferentes métodos de picking de produtos, antes de escolher o melhor para sua empresa, é essencial entender as principais etapas por trás desse processo.

Normalmente, ele é composto de quatro passos:

  • localização do item;
  • coleta do item;
  • movimentação do item;
  • documentação do processo.

Além disso, é necessário considerar os profissionais que participam do picking (separadores ou pickers), a quantidade de itens em cada pedido e as janelas de tempo para separação de cada pedido.

A administração destas etapas e elementos envolvidos vai depender da infraestrutura da sua empresa, bem como do método de separação escolhido.

Como implementar o picking na sua empresa?

Agora que você já conhece o que é picking, os diferentes métodos, bem como a importância desse processo para sua empresa, é hora de entender como implementá-lo no seu negócio.

Se a sua organização ainda separa pedidos de forma desorganizada, saiba que muito provavelmente está perdendo tempo e dinheiro com isso.

Mas como preparar a sua operação e estruturar uma boa separação e seleção de pedidos? Ensinamos os passos principais a seguir, veja só:

Organize o armazém 

O primeiro passo é organizar e melhorar a gestão do armazém, de modo que os itens sejam fácil e rapidamente encontrados.

Por isso, separe as mercadorias por categorias e características. Assim, é mais simples para que os profissionais memorizem onde está cada SKU.

Outro ponto é manter o armazém bem sinalizado, comunicando a todos de maneira clara e objetiva onde os itens estão.

Reduza os deslocamentos

Ainda no quesito organização, procure formas de otimizar o trânsito dos separadores ao longo das prateleiras de armazenamento.

Como mencionamos com dados anteriormente, esse período sozinho pode ocupar mais da metade de todo tempo investido no processo de picking.

Por isso, organize os itens de modo que fiquem o mais próximos possível das mãos dos separadores.

Faça a padronização do processo de recebimento e registro

Como sua empresa está registrando o recebimento e registro de mercadorias? Esse é um ponto que deve ser considerado na hora de otimizar o picking.

A padronização facilita na hora de os separadores procurarem os itens no armazém, digitando o nome ou SKU padrão no sistema e recebendo a informação correta sobre sua localização.

Atente-se aos itens que têm maior giro

Outro ponto — ou quase um atalho, na verdade — é estruturar suas prateleiras de modo que os produtos de maior giro estejam próximos dos separadores.

Assim, sua empresa cria um fluxo ágil começando pelos itens que mais vendem, o que é uma maneira de simplificar o trabalho do time e agilizar a entrega.

Faça a preparação de pedidos por remessas

Na preparação por remessas, que é normalmente organizada com auxílio de um sistema como o WMS, os pedidos são organizados conforme os produtos em comum que possuem.

Assim, se em oito pedidos há 12 ordens de compra para um mesmo produto, esses oito pedidos podem compor uma remessa.

Assim, o picker apenas realiza um deslocamento até a prateleira ou pallet, sem a necessidade de repeti-lo uma dúzia de vezes.

Acompanhe de perto toda a operação

Como qualquer tarefa operacional que exige precisão, o picking necessita de olhos atentos a cada parte da operação.

Uma maneira de concretizar isso é com treinamento eficiente dos envolvidos no processo, desde gestores a operadores.

Conte com soluções tecnológicas

Por fim, utilizar um sistema como o WMS, próprio para gestão de armazém, possibilita que a empresa otimize o processo de picking, bem como monitore seus resultados a fim de entender a evolução da sua operação em tempo real.

Quais são as principais tecnologias do sistema de picking?

No processo de separação e seleção de pedidos, existem várias tecnologias que podem complementar e muitas vezes automatizar várias ações, com intuito de torná-lo mais eficiente e ágil.

O principal, como já citamos, é o WMS ou Sistema de Gerenciamento de Armazém.

A solução complementa toda a administração do seu armazém e dos processos logísticos que se passam dentro das instalações.

Entre as várias vantagens, o WMS tem a capacidade de:

  • auxiliar no planejamento da equipe;
  • exibir a disponibilidade dos produtos;
  • gerar listas de separação automaticamente;
  • fornecer informações em tempo real sobre o status do pedido;
  • ajudar a prever quando reabastecer o estoque por meio de notificações.

Outra tecnologia bastante aplicada são os terminais de radiofrequência, que auxiliam o pessoal do armazém a encontrar as mercadorias mais rapidamente no depósito.

Além disso, algumas empresas optam por estruturas de “pick by light”, que indicam com luzes onde os produtos de cada pedido estão localizados.

O “pick by voice” fornece uma comunicação oral dos pickers com os preparadores de pedido, possibilitando que os funcionários manuseiem produtos de modo livre.

Tecnologias TOTVS para Logística

E agora, vamos modernizar a gestão de seu armazém, otimizar o picking, packing, despacho e entrega dos produtos, bem como aumentar a satisfação do seu cliente?

Então, conte com as tecnologias TOTVS para Logística!

A suíte de soluções da TOTVS, maior empresa tech do Brasil, possibilita total controle e ampla automatização dos processos da sua cadeia logística.

Um deles é o WMS da TOTVS, que é a melhor plataforma de gestão de armazém do mercado, e capaz de transformar a forma com que a sua empresa lida com o controle de estoque, separação de pedidos, embalagem e envio.

E, então, que tal revolucionar a forma com que a sua cadeia logística funciona? Confie nas tecnologias TOTVS para Logística!

totvs logística

Conclusão

Agora que você entendeu o que é picking, é hora de começar a melhorar a forma com que esse processo é realizado na sua empresa.

Afinal, cada vez mais, a parte logística deixa de ser um mero ator operacional da sua cadeia de valor e se torna parte estratégica e fundamental dos resultados.

Não por menos, é nela que mora uma grande parte dos custos do seu negócio.

Por isso, quanto mais otimizado for, melhor para a sua operação — e especialmente para o seu cliente.Que tal seguir aprendendo sobre gestão logística? Em nosso blog, preparamos uma seção inteira de conteúdos dedicados ao tema, confira!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.