segurança da informação

Segurança da informação: Sua empresa está fazendo corretamente?

Equipe TOTVS | GESTÃO | novembro 07, 2019

O volume de dados gerados pelas empresas no cenário atual exige um cuidado extra com a segurança da informação. A preocupação dos gestores é compreensível: um vazamento de informações traz prejuízos significativos para o negócio, por isso, a segurança da informação é primordial.

Esse aspecto é ainda mais relevante devido à alta conectividade. O resultado é o crescimento dos pontos de vulnerabilidade, aspectos explorados nos ataques. Diante desse contexto, é fundamental estar em constante atualização e garantir a implantação de boas práticas na segurança da informação nas empresas.

O que é segurança da informação?

Se você está se perguntando o que é segurança da informação, saiba que o termo é usado para designar ferramentas e processos que protegem informações sensíveis e evitam qualquer disrupção, modificação, inspeção e destruição dos dados. Sua finalidade é melhorar a integridade, a confidencialidade e a disponibilidade de arquivos e documentos armazenados no sistema.

Os princípios da segurança da informação

Alguns princípios guiam a análise, o planejamento, a implantação de ferramentas e as opções de controles de segurança da informação para preservar os dados. Veja quais são eles!

Confidencialidade

A ideia é limitar o acesso às informações para pessoas ou entidades autorizadas, restringindo que somente elas visualizem, editem, processem e alterem os dados.

Integridade

Esse princípio visa a manutenção das características originais das informações, de acordo com o que foi estabelecido pelo seu proprietário. Está relacionado ao controle das mudanças e à preservação do ciclo de vida dos dados.

Disponibilidade

Esse atributo permite que as informações estejam disponíveis para as pessoas autorizadas sempre que necessário.

Autenticidade

Seu intuito é ter certeza de que a informação é proveniente da fonte anunciada. Assim, torna-se possível confirmar a sua originalidade e autoria.

Irretratabilidade

Esse é o não repúdio, que está relacionado à assinatura de transmissão das informações por parte do responsável, que assume o ato.

Conformidade

O compliance é a ideia de adotar melhores práticas de segurança da informação, a fim de conquistar vantagem competitiva e fortalecer as ações implantadas.

LGPD_Masterclass_Tudo_sobre

Controle da segurança da informação

Os dois níveis de controle existentes são o físico e o lógico. O primeiro é aquele que impõe barreiras ao contato ou acesso direto à infraestrutura ou à informação, como paredes, portas, blindagem, trancas e vigias. Elas preservam os ativos tangíveis, como os data centers.

Os controles lógicos, por outro lado, são obstáculos virtuais que impedem ou limitam o acesso. Entre os principais para a segurança em sistemas de informação estão:

  • Criptografia: adota algoritmos e esquemas matemáticos para codificar os dados e deixá-los legíveis somente para quem tem a chave de acesso;
  • Assinatura digital: é um conjunto de dados criptografados reunidos em um documento digital. Preserva a integridade do arquivo, mas não a sua confidencialidade;
  • Honeypot: é um software que detecta e impede ações de spammers, crackers e outros usuários sem autorização. Sua função é enganar o invasor,
  • Outras opções são: palavras-chave, biometria, firewalls, smart cards e outras ferramentas.

Auxílio da tecnologia

A evolução tecnológica contribui para melhorar a tecnologia em segurança da informação. No entanto, essa é uma alternativa para que os hackers explorem as vulnerabilidades.

A IoT, por exemplo, evidencia as tecnologias operacionais dos negócios. Por meio da invasão a esses sistemas, é possível controlá-los ou até fechá-los e bloquear o acesso total dos usuários autorizados.

Esses são os chamados ataques emergentes, que se concentram em vulnerabilidades oferecidas pelas novas tecnologias e novos vetores de ataque. Ao mesmo tempo, existem outros recursos que favorecem a proteção dos dados. Um bom exemplo disso é a LGPD, mas também podemos citar:

  • Machine learning: protege a memória e previne contra exploit, isto é, evita a entrada das ameaças mais comuns aos sistemas. Utiliza modelos matemáticos para impedir a entrada de malwares;
  • Inteligência Artificial (IA): combate o grande número de variedades de ameaças pela integração com outras ferramentas de controle e segurança;
  • Tecnologia deception: aplica artifícios para impedir ou acabar com os processos cognitivos do invasor. As ferramentas de automação são interrompidas, as atividades são atrasadas e as falhas se tornam mais lentas. É aplicável em redes, aplicativos, dados e endpoints,
  • Também vale a pena contratar soluções de empresas conhecidas e referências no mercado. Por exemplo, ao procurar melhor opção de ERP, analise a experiência da fornecedora do sistema.

A segurança da informação na nuvem

A principal característica da computação em nuvem é sua arquitetura e o design de soluções, que oferecem recursos para a proteção da informação e configurações que ficam sob responsabilidade do fornecedor. Isso significa que a sua empresa está menos exposta a riscos.

Os provedores também trabalham para aumentar os cuidados com as aplicações corporativas, com vistas ao atendimento das demandas organizacionais, à diminuição das vulnerabilidades e à criação de ferramentas que protejam o sistema contra invasões.

Como você pôde perceber, a segurança da informação é um tema bastante explorado e que requer muitos debates. Por estar em evolução constante, é indispensável se manter atualizado e ler materiais completos, como este artigo.

Assim, você encontra as melhores soluções para o seu negócio e se certifica de que está em dia com o compliance. Acompanhe as melhores dicas no blog da TOTVS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *