Acordo financeiro: o que é, vantagens e como fazer

Equipe TOTVS | 10 agosto, 2022

O acordo financeiro é uma realidade em muitas empresas de diversos segmentos, pois todas enfrentam desafios relacionados às finanças do negócio.  

Mesmo com uma boa gestão interna, as ameaças externas trazem novos eventos imprevisíveis. 

Um bom exemplo ocorreu com a declaração de pandemia ao redor do mundo, que fez com que muitos empresários buscassem financiamento para manter as contas em dia.

Depois de um momento desafiador, como no exemplo citado, vem a necessidade de estruturar um acordo para o pagamento de dívidas.

Mas o que é um acordo financeiro? Qual o melhor lugar para negociar dívidas? Abordamos essas e outras questões a seguir.

Acompanhe!

O que é um acordo financeiro?

Um acordo financeiro é o resultado de uma negociação de dívida entre duas partes interessadas. No âmbito corporativo, ele é realizado entre a empresa e a instituição credora, que estabelece novas condições para que o débito seja quitado.

Por este motivo, é também chamado de acordo de dívida. 

Como funciona um acordo financeiro?

Para entender como funciona o acordo financeiro, a melhor forma é ver um exemplo prático.

Vamos a um exemplo?

Imagine que Michelle, gestora da empresa Dias, financiou a compra de três equipamentos para a linha de produção. O pagamento das parcelas estava em dia, até que foi decretada uma nova pandemia, com novo isolamento social.

Para manter seu compromisso em dia, ela acionou seu credor com uma carta de acordo financeiro para negociar novos valores e prazos de pagamento.

E se ela fosse uma gestora inexperiente a ponto de deixar vencer algumas parcelas? Neste caso, o atraso resultaria em multa e juros, o que agravaria a situação da empresa. Ainda assim, seria possível concretizar uma negociação com novos termos.

Entendeu o que é um acordo financeiro? Ele pode ser proposto antes do atraso dos pagamentos da dívida ou depois. No entanto, a segunda situação é mais prejudicial aos negócios, pois o débito será maior.

Nova call to action

Quais são os benefícios de fazer um acordo financeiro?

Você sabia que a dívida de empresas brasileiras com capital aberto atingiu R$ 1,26 trilhão em 2021? O valor retrata um crescimento de 15,8% em relação ao final do ano anterior e é o maior nível da série histórica da Economatica, responsável pelo levantamento. 

O cenário das micro e pequenas empresas não é diferente. Pesquisa do Serasa aponta que  mais de 5 milhões de pequenas empresas estão inadimplentes após endividamento na pandemia.

Para não fazer parte da estatística, você está pensando em enviar uma declaração de acordo financeiro para seu credor e regularizar a situação da sua dívida. 

Em um cenário de dificuldades, essa é uma atitude que demonstra boa-fé, pois há uma busca por honrar os compromissos assumidos.

Mas há três outros benefícios diretos para a saúde financeira da sua empresa, confira.

Sair da inadimplência

Uma das consequências de uma empresa em situação irregular pode ser a inserção do seu CNPJ nos órgãos de proteção ao crédito.

Há muitos prejuízos neste caso, como a dificuldade de obter novos financiamentos para expandir os negócios e alugar imóveis.

No entanto, com a realização de um acordo financeiro, o empresário consegue regularizar sua situação e sair da inadimplência.

Parcelar a dívida

Outro benefício comum nas situações de acordo de dívidas é o parcelamento. Como existe um desejo do credor em receber seu crédito, ele flexibiliza o recebimento para que seja algo possível para o devedor.

Para o empresário, é fundamental para a recuperação financeira, pois ele escolherá um valor compatível com as receitas de sua empresa, sem comprometer o orçamento mensal. 

Conseguir juros reduzidos

Por fim, este acordo possibilitará uma redução nos juros incidentes sobre a dívida. 

Em um acordo de dívida, vemos com frequência o credor oferecer a redução ou a retirada dos juros para possibilitar a quitação do débito. 

Ficou interessado nos benefícios e quer saber como fazer acordo financeiro? É preciso avaliar alguns pontos antes de acionar o seu credor.

O que avaliar antes de fazer um acordo financeiro?

Você deseja rever um acordo financeiro ou enviar uma carta ao seu credor para negociar novas possibilidades para quitar uma dívida? Existem aspectos importantes que devem ser avaliados antes de concretizar esse acordo.

O primeiro deles é a origem da dívida. O acordo pode não ser viável, por exemplo, se o montante devido se relacionar a um empréstimo assumido para pagar débitos anteriores.

Por isso, o gestor deve observar o índice de endividamento geral da empresa e fazer uma análise profunda das finanças corporativas. 

Qual a porcentagem do caixa se destina ao pagamento de débitos com terceiros? O acordo poderá ser embasado na projeção de receita dos próximos meses?

O segundo ponto são algumas boas práticas que facilitam na hora de propor um acordo de dívida:

  • Manter a transparência na comunicação;
  • Manter um diálogo racional com o credor;
  • Ter os objetivos de negociação bem definidos.

Agora sim podemos passar para a forma de propor um acordo de dívidas.

Como fazer acordo financeiro?

Com uma carta de acordo financeiro, você acionará pela primeira vez o seu credor para expor a situação. 

No entanto, você precisa ter clareza sobre diversos pontos da sua dívida, como os que apontamos a seguir.

Conheça o seu saldo devedor total

Quanto sua empresa deve hoje? Essa informação é fundamental para qualquer renegociação de dívidas. 

Some as pendências empresariais com cada credor para confirmar o valor exato do saldo devedor. Assim, você terá uma melhor projeção de despesas e custos regulares, inclusive considerando as novas parcelas que serão incorporadas. 

Observe suas finanças e faça a contenção de gastos

Após conhecer o saldo devedor total, é preciso estudar seu orçamento atual para saber o valor que poderá ser destinado ao pagamento da dívida. 

É possível pagar em poucas parcelas, sem comprometer suas finanças, ou será preciso solicitar um prazo maior? O foco aqui é entender a situação financeira para definir um acordo possível.

Uma boa maneira de aumentar o valor disponível para este pagamento é estabelecer uma política de contenção de gastos. Com mais recursos disponíveis para o acordo, seu caixa estará mais robusto para honrar os compromissos ao longo dos meses.

Vale pontuar que a otimização da gestão de custos é um benefício para diversos aspectos empresariais. Por isso, mesmo se você não for fazer um acordo financeiro no Serasa ou em outro órgão de proteção ao crédito, é uma medida valiosa.

Não comprometa mais que 30% do seu orçamento

Uma regra básica da educação financeira pessoal também se aplica à realidade empresarial em muitas oportunidades: destinar, no máximo, 30% para o pagamento de dívidas.

É uma medida cautelosa para se prevenir de eventos imprevisíveis que podem comprometer seu acordo.

Participe de feirões de renegociação de dívidas

Os feirões de renegociação de dívidas são, em geral, realizados por empresas de recuperação de crédito junto a seus parceiros. 

Lembra que falamos do acordo financeiro no Serasa? Esta é uma empresa para decisões de crédito e apoio a negócios que realiza esses tipos de eventos. 

O objetivo é auxiliar pessoas físicas e jurídicas a quitar suas dívidas, o que contribui para a movimentação do mercado financeiro

Para uma empresa endividada, é uma oportunidade de obter descontos e escolher a melhor forma e data de vencimento para os pagamentos.

Certifique-se de que o acordo ofereça juros razoáveis

Seja em feirões, seja diretamente com o seu credor, você deve analisar a mensagem de acordo financeiro enviada. Será que a proposta realmente oferece juros razoáveis?

A política de juros pode facilitar ou complicar o restante do pagamento que o empresário deve realizar. Se a taxa de juros é elevada, seu fluxo de caixa ficará apertado, o que dificulta o equilíbrio das finanças.

Por isso, um bom acordo financeiro oferece juros mais razoáveis para que sua empresa pague tudo o que deve nas parcelas acordadas.

Diante deste contexto, tente ter em mãos mais de um tipo de acordo. Cada instituição financeira oferece condições determinadas. Tente encontrar a menor taxa de juros. 

Peça descontos ao credor

O cerne da renegociação de dívidas é encontrar uma solução para possibilitar o pagamento. Uma das formas de conseguir isso é pedir descontos ao credor.

Você verá alguns credores apresentando propostas padronizadas, mas é possível barganhar, ok? Utilize o argumento do interesse em resolver a situação de forma definitiva.

Para tanto, reúna o máximo de informações sobre a natureza do débito, especialmente se você tem recursos para pagamento à vista. 

Estabeleça o valor da entrada e um limite para as parcelas

O valor da entrada e o limite para as parcelas são dois aspectos importantes para se realizar um bom acordo financeiro. 

Há empresas que aumentam o montante da entrada com o fundo reserva, reduzindo o saldo devedor a ser parcelado. Essa é uma medida interessante, desde que seja possível. 

Pense em sua organização financeira e programe-se para quitar a dívida no menor tempo possível. Mas obedeça também o limite para as parcelas, de modo que elas não prejudiquem seu fluxo de caixa no mês.

Defina a forma de pagamento

À vista ou parcelado? A escolha da forma de pagamento depende da situação financeira da empresa. Apesar dos descontos para o pagamento à vista, ele pode não ser possível para você.

Portanto, a regra aqui é escolher uma forma que caiba no seu orçamento.

Atente-se ao contrato

Por fim, antes de assinar sua declaração de acordo financeiro ao credor, analise o contrato proposto. Ele traz todos os termos da negociação e será elementar caso uma das partes precise de orientação.

Verifique se as cláusulas do contrato online ou físico são coerentes com o que foi discutido.

Quer ver uma base de como seria esse acordo de dívidas? Veja um modelo de proposta de acordo financeiro!

Modelo de proposta de acordo financeiro

O acordo deve, preferencialmente, ser elaborado por um advogado ou especialista em negociação de dívidas.

No entanto, um modelo básico deve trazer as seguintes cláusulas:

Qualificação das partes (razão social, CNPJ, endereço e dados do representante das pessoas jurídicas envolvidas);

Cláusula 1ª – Especificação, reconhecimento e origem da dívida.

Cláusula 2ª – Valor e forma de pagamento da dívida, com prazo inicial e final.

Cláusula 3ª – Penalidade por atraso no pagamento.

Cláusula 4ª – Hipótese de negativação do CNPJ do devedor.

Cláusula 5ª – Possibilidade de protesto e acionamento judicial para recebimento da dívida.

Local e data.

Assinatura das partes e das testemunhas.

Confira um modelo de proposta de acordo financeiro presente no portal Jusbrasil: [Modelo] Acordo para pagamento de dívida (jusbrasil.com.br).

Qualquer modelo traz a assinatura das partes e das testemunhas para validar o acordo. No caso de um acordo de dívidas, devedor e credor buscam agilidade para resolver o problema.

Nestas situações, o melhor é contar com uma plataforma de assinatura digital, que evita o trânsito de documentos e diminui os custos. 

Um bom exemplo de solução é o TOTVS Assinatura Eletrônica.

Conte com a solução TOTVS Assinatura Eletrônica

A busca por agilidade para fechar negócios e acordos faz com que o gestor prefira soluções automatizadas inteligentes. Esse é o caso da solução desenvolvida pela maior empresa de tecnologia do Brasil.

O TOTVS Assinatura Eletrônica é uma solução SaaS que confere 100% de validade jurídica e total segurança aos documentos.

Confira uma breve demonstração da solução:

O sistema permite o gerenciamento e a centralização de todo o processo de assinatura eletrônica, inclusive com uso de certificados digitais

Dessa forma, você otimiza suas rotinas empresariais que demandam assinatura!

Conheça já e experimente grátis por 30 dias o TOTVS Assinatura Eletrônica!

Conclusão

O acordo financeiro ou de dívidas é uma solução que traz alívio aos empreendedores, pois resolve uma situação que compromete a geração de receita.

Por este motivo, é preciso ter conhecimento sobre o saldo devedor e a situação financeira atual para encontrar o melhor acordo. 

Além disso, é preciso buscar agilidade na hora de fechar o acordo, o que pode ser conquistado com a assinatura eletrônica.

Com o acordo fechado e assinado, o empresário consegue retomar sua capacidade de investir, inovar e ter novas estratégias de negócio. Aprenda como quitar dívidas da empresa!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.