O que é franquia: guia completo

Equipe TOTVS | 05 julho, 2022

Aprender o que é franquia e todos os detalhes por trás desse modelo de negócios é essencial para empreendedores. Neste tipo de operação, a marca já está consolidada, com identidade e processos estabelecidos.

E é justamente por esse motivo que novatos na gestão de empresas optam por uma franquia.

Porém, essas facilidades atraem também os veteranos no mercado, que optam por comprar e administrar franquias, aproveitando dos benefícios atrelados.

Porém, antes de sair procurando exemplos de franquias no Brasil, é preciso saber como funciona esse sistema:

Afinal, o que é, o que diz a lei, quais os tipos, as vantagens, riscos e como abrir uma franquia?

Neste guia completo, você vai encontrar as respostas para todas essas perguntas e muito mais. Pronto(a) para aprender mais? É só seguir a leitura!

O que é franquia?

O conceito de franquia é simples: trata-se de um modelo de negócio que proporciona a concessão do direito de uso de uma marca, patentes, know-how e todo networking a ela atrelado.

O franchising (ou o ato de abrir uma franquia) é composto por dois atores: o franqueador e o franqueado. O primeiro é dono da marca e seus direitos, o segundo é quem compra os direitos para replicá-la.

Essa aquisição se dá de diferentes formas, mas normalmente inclui um fee de investimento inicial e taxas de licenciamento que podem ser anuais.

Trata-se de um método de expansão de negócios muito popular entre empresas que atingem certo tamanho e buscam escalar a operação.

E, claro, no outro lado da moeda, é uma oportunidade de empreendedores aproveitarem todo potencial de marca já consolidado, com seus próprios processos e público-alvo já definido.

Nova call to action

Quando surgiu o sistema de franquias?

A história do sistema de franquias é incerta, mas repleta de figuras históricas do meio empresarial.

Acredita-se que o sistema nasceu em 1731, com o político americano Benjamin Franklin, que franqueou seus serviços de impressão de sua empresa na Carolina do Sul.

Pouco mais de um século depois, em 1851, outro notório empresário, Isaac Singer, criador das famosas máquinas de costura, transformou seu modelo de negócios em uma franquia, de modo a facilitar e ampliar a comercialização de seus produtos.

Após isso, várias empresas se adaptaram ao modelo, mas um século depois, em 1952, o franchising se tornou realmente popular.

A empresa por trás? McDonald’s.

No Brasil, o modelo começou a ser empregado também na década de 1950, com a internacionalização de algumas marcas.

No entanto, apenas a partir dos anos 1970 que o franchising começou a ganhar corpo e se tornar uma potência e uma oportunidade.

Além disso, em 1987, houve a fundação da Associação Brasileira de Franchising (ABF), uma resposta ao crescimento de empresas franqueadas.

Como funciona o sistema de franquia?

E, agora, como funciona a franquia? Bom, como explicamos, existem alguns atores indispensáveis para o sucesso dessa operação, bem como vários termos bem específicos do meio.

Que tal entender em detalhes? Separamos uma explicação para cada um deles, incluindo o que são royalties de uma franquia. Vamos lá?

O que é franqueado?

No momento em que você aprende o que é franquia, já conhece as duas partes envolvidas nesse tipo de negócio: o franqueado e o franqueador.

O primeiro é quem adquire os direitos de uma marca para replicá-la em um local ou região específica.

Para isso, ele entra em contato com a empresa e busca todas as informações para que possa comprar uma franquia.

Esse processo não é tão simples quanto parece: a maioria das organizações abertas ao franchising exigem vários documentos do interessado.

Além disso, muitas delas possuem diretrizes que devem ser cumpridas à risca, como identidade visual, formas de conduzir processos, uniformes e mesmo os fornecedores que devem ser contratados.

O que é franqueador?

Já o franqueador é a outra parte, quem detém os direitos e patentes da marca e visa franqueá-la para outros empreendedores.

É essa pessoa jurídica que libera licenças, faz contratos e trabalha em cima dos termos de uso da imagem da marca.

O franqueador é quem estabelece as regras para que as franquias se estabeleçam, sendo responsável pelos esforços de marketing para ampliar as vendas de licenças, recrutando novos franqueadores.

Além disso, cabe a essa parte realizar toda educação dos empreendedores parte de sua rede licenciada, promovendo treinamentos, eventos e feiras.

Juntamente, é quem monitora a rede de franquias, mapeando o cumprimento das normas, políticas, padrões e processos.

Por fim, o franqueador deve desenvolver e apresentar o FDD ou Documento de Divulgação de Franquia, um tipo de apresentação da marca.

E, claro, é quem elabora e entrega o COF ou Circular de Oferta de Franquia, um documento que serve como proposta comercial, detalhando valores, projeção de retorno, nomes de outros franqueados, normas da marca, entre outras informações.

Quais são as principais taxas de franquia?

Entrar no mercado de franquias é uma decisão acertada, mas como um modelo já estabelecido de operação, ele exige que o franqueado lide com algumas taxas.

Mas, afinal, quais são elas?

Vamos listar as principais a seguir, mas lembre-se de que elas podem variar de negócio para negócio, então vale pesquisar e requisitar o COF para entender todas as obrigações.

  • Taxa de franquia: normalmente, a principal obrigação financeira com um franqueador. É o valor pago como fee inicial, logo após a assinatura do contrato, em uma quantia única e fixa. Esse valor ajuda o franqueador a custear todo processo de prospecção e seleção de candidatos, bem como suprir os custos de capacitação, suporte e implantação da unidade.
  • Royalties: pagamentos periódicos, baseados em uma tabela e que dependem de fatores como o faturamento mensal, que servem como uma remuneração pelo uso da marca ou de seus serviços.
  • Fundo de Publicidade (Ad-Fund): uma contribuição do franqueado para que a marca como um todo possa investir em propagandas institucionais. A forma de cobrar varia de acordo com a empresa, mas é uma taxa comum no meio do franchising.

O que são royalties de franquia?

Royalties são valores baseados em uma tabela que devem ser pagos pelo franqueado ao franqueador, a depender do faturamento da empresa.

Assim, baseado em quanto a empresa arrecadou em determinado mês, ela deve pagar uma taxa de royalties ao franqueador.

Os royalties de uma franquia são sempre cobrados? Depende do modelo de negócios.

Existem franquias que não cobram nenhum royalty, apenas o fee inicial e outras taxas para serviços específicos.

O que diz a lei sobre franchising no Brasil?

O franchising é um tipo de operação comercial regulamentado por lei no Brasil — que inclusive passou por uma atualização, conhecida como Nova Lei de Franquias.

Primeiro, no entanto, vamos falar sobre a legislação original e suas características, para só então discutir as mudanças da atualização.

A Lei n° 8.955/94 que, entre outras coisas, define o que é franquia:

[…] sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício.

A atualização aconteceu porque a nova realidade do mercado demandava algumas mudanças na legislação.

A Nova Lei de Franquias, n° 13.966/19, revogou a anterior, alterando algumas coisas:

  • a relação entre franqueador e franqueado não é de consumo;
  • agora, o franqueador pode sublocar pontos comerciais aos franqueados;
  • o COF deve ser mais claro e objetivo, com informações como a lista dos ex-franqueados dos últimos 24 meses.

Um panorama sobre o mercado de franquias no país

O setor de franquias no Brasil é extremamente relevante e, atualmente, encara uma ótima onda de crescimento.

De acordo com dados da ABF, em 2021, o setor faturou mais de R$185 bilhões, um crescimento de 10,7% em comparação a 2020.

Os segmentos que mais se destacaram foram:

  • Serviço;
  • Casa e Construção;
  • Limpeza e Conservação;
  • Saúde, Beleza e Bem-Estar.

Outro destaque dentro do segmento de food service está no crescimento de Dark Kitchens (bem como Cloud Kitchens e Ghost Kitchens), que surgem como solução para arcar com a alta demanda dos deliverys.

Qual a razão do sucesso das franquias?

A principal razão do sucesso das franquias é a flexibilidade do modelo de negócios. Em vez de centralizar os investimentos em uma só pessoa jurídica, a marca se abre a outros empreendedores, mercados e públicos-alvo.

É uma oportunidade de potencializar seu market share, bem como atingir níveis antes impensáveis de alcance geográfico — mantendo os custos baixos.

Além disso, franquias são negócios interessantes do ponto de vista de quem está começando no mundo da gestão, especialmente em segmentos competitivos, como o food service.

Para o franqueador em si, o modelo é vantajoso pois trata-se de um “atalho” para o crescimento, aumentando a distribuição de seus produtos e serviços.

Tudo isso contando com aporte e investimento de terceiros, que compram os direitos de uso da marca.

Assim, neste modelo, o franqueador aproveita de menores riscos, criando um network de empreendedores investidos na ideia de seu negócio.

Quais são os segmentos do franchising no Brasil?

Ao entender exatamente o que é franquia, o interesse em investir nesse mercado só cresce, certo? No entanto, ainda restam algumas dúvidas que precisam ser esclarecidas, como os segmentos incluídos.

Afinal, quais negócios têm maior aderência no mundo do franchising? Separamos uma lista com os principais, confira:

  • moda;
  • farmácia;
  • artesanato;
  • alimentação;
  • energia solar;
  • ótica e fotografia;
  • casa e construção;
  • hotelaria e turismo;
  • serviços automotivos;
  • serviços educacionais;
  • limpeza e conservação;
  • entretenimento e lazer;
  • educação e treinamento;
  • saúde, beleza e bem-estar;
  • serviços e outros negócios;
  • comunicação, informática e eletrônicos.

Quais são os tipos de franquias?

E quais os diferentes tipos de franquias que um empreendedor pode investir? Isso vai depender do conceito, segmento e do nível de investimento.

No geral, podemos resumir os tipos em seus formatos principais:

  • Lojas físicas: nesse tipo, as franquias devem ser estabelecidas em um local físico específico, apostando em um formato mais tradicional. Aqui, cabe incluir as franquias de escolas de idiomas e habilidades.
  • Quiosques: espaços menores, desmontáveis e práticos, eles são ideais para se posicionar em meio a ambientes com grande circulação de pessoas, como shopping centers, terminais de ônibus, rodoviárias e metrôs. Um grande exemplo são as franquias de quiosque de sorvete do McDonalds.
  • Food Trucks: bastante populares de um tempo para cá, são meios móveis, porém equipados, capazes de fornecer serviços onde o público-alvo se encontra. É um tipo de franquia que possibilita rápida expansão, mas com custos consideráveis.
  • Contêineres: espaços comerciais que demandam menos custos, especialmente de manutenção. São ideias para diferentes segmentos, especialmente os que não necessitam de ambientes consideráveis.
  • Home-Based: já neste modelo, o negócio funciona da própria casa do franqueado. Normalmente, é adotado por franquias de e-commerce e marketplace, bem como de dropshipping.

Conheça os benefícios do sistema de franquias

Ao mergulhar no que é franquia, é fácil entender que se trata de uma boa maneira de empreender, contando com um modelo de operação pré-estabelecido.

Mas, afinal, como qualquer decisão tomada no meio corporativo, o objetivo é encontrar mais benefícios do que malefícios e pontos negativos.

Por isso, por que vale a pena abrir uma franquia? O que esse modelo de negócio traz de vantagens tanto para o franqueador como franqueado?

É o que nos aprofundamos a seguir, explorando os detalhes:

Para o franqueado

Da mesma maneira que o franqueador tem a possibilidade de usar o franchising para expandir o alcance de sua marca, o franqueado pode optar por um negócio nesse molde por ter maior possibilidade de prever o sucesso e identificar os riscos que podem levá-lo ao fracasso.

Além disso, a franquia também não precisa gastar dinheiro com treinamento e suporte, providenciados pelo franqueador.

Outra vantagem é que, às vezes, um franqueado pode obter direitos exclusivos para vender determinados produtos e serviços de um franqueador.

Um ponto importante é que, normalmente, o franqueador possui equipamentos e fornecedores previamente homologados.

Na prática, é algo que facilita sua operação e permite uma lucratividade maior em menos tempo.

Para o franqueador

Em primeiro lugar, o franchising é uma ótima maneira de expandir um negócio sem que a empresa tenha que arcar com custos adicionais exagerados.

Afinal, todas as despesas de venda são custeadas pelas franquias em si, restando a responsabilidade do franqueador educar os franqueados e também investir em marketing institucional.

É algo que ajuda na construção de branding, alcançando mais clientes.

Com isso, a marca em si tem mais tempo e recursos para focar em inovação, criando novos produtos e serviços, bem como atualizando os atuais.

Saiba quais são os riscos de abrir uma franquia

Que investir em franquia é uma boa ideia para começar seu negócio, não há novidades. Porém, como qualquer oportunidade comercial, trata-se também de desafio com seus riscos.

Ao longo de uma operação de franquia, o franqueado enfrenta algumas desvantagens que podem ser determinantes para o sucesso da operação. Que tal conferir alguns?

Para o franqueador, a principal desvantagem é que a rede não possui controle direto sobre a venda de seus produtos.

Ou seja, é preciso sempre manter a qualidade das soluções comercializadas — bem como manter-se em constante estado de monitoramento.

Além disso, há o risco do franqueado vazar segredos comerciais para rivais, prejudicando o negócio.

E para o franqueado? Bom, podemos citar alguns pontos:

  • Falta de autonomia: é preciso seguir as políticas da empresa, o que limita a independência para tomar certas decisões e aproveitar determinadas oportunidades.
  • Taxas recorrentes: além do fee inicial, é comum que as franquias cobrem algumas taxas recorrentes de seus franqueados. Esse tipo de cobrança pode limitar o potencial de investimento do negócio e, até mesmo, fazê-lo operar no limite do break-even.
  • Ciladas comerciais: algumas franquias podem ser consideradas verdadeiras ciladas — por vários motivos. Por isso, é recomendado ir além da pesquisa convencional, acionando franqueados atuais e ex-franqueados, bem como consultores de negócios e mesmo advogados especialistas no tema.

As principais curiosidades sobre franquias

Você sabia que existem mais de 170 mil unidades franqueadas no Brasil hoje? Essa é uma das curiosidades sobre o tema.

O número representa um crescimento considerável, já que as unidades em 2020, pleno ano de pandemia, foram de pouco mais de 156 mil.

Mas quantas dessas unidades fazem parte de uma rede? Em 2021, foram calculadas mais de 2880 redes de franquias operando no mercado brasileiro.

Agora e quanto à geração de empregos? O número de trabalhadores diretos passou de 1,4 milhão, um aumento de 12,1% em relação a 2020.

Os dados são do levantamento da ABF, que calculou uma taxa de mortalidade de 5,5% em 2021, um patamar próximo ao do pré-pandemia. 

Além disso, de acordo com a ABF, a projeção de crescimento é de 9% no faturamento, 2% no número de redes, 5% no número de unidades e 5% no número de empregos diretos gerados.

Antes de encerrar, vale sanar uma dúvida muito comum: afinal, qual foi a primeira franquia do Brasil? O consenso gira em torno das escolas de inglês CCAA e Yázigi, fundadas em 1960.

Exemplos de franquias bem-sucedidas

Agora, que tal conferir alguns exemplos de franquias mais bem-sucedidas no Brasil? Separamos os principais para você conferir, veja só:

  • Bob’s: com mais de 60 anos de história, um menu fast food bem diversificado e com mais de 1.100 franqueados no Brasil.
  • Ortobom: maior rede de colchões do Brasil, é uma marca reconhecida em todo o país e com investimento inicial a partir de R$100 mil.
  • O Boticário: outra marca extremamente popular, possui ampla variedade de produtos e um público-alvo fiel, com clientes estabelecidos em todo o país.
  • Hering: a tradicional marca de roupas expandiu suas operações ao adotar o modelo de franquias, aproveitando a fama em torno da qualidade de suas roupas. Hoje, possui mais de 600 unidades.
  • Cacau Show: com faturamento médio mensal girando em torno dos R$80 mil, representa uma oportunidade para empreendedores em praticamente qualquer lugar do país.

Como abrir uma franquia?

Antes de finalizar, que tal entender alguns pontos sobre como abrir uma franquia? Separamos perguntas referentes ao assunto e que podem ser valiosas na hora de tomar a decisão certa, confira:

Qualquer pessoa pode ter uma franquia?

Na prática, qualquer um pode ter uma franquia, desde que obedeça às diretrizes da marca em si. Já no caso de franquear um negócio, também não há limitações, porém é preciso ter ao menos um ano de atuação antes de aderir ao modelo.

Em qual rede de franquia devo investir?

A rede de franquias que você vai investir deve apresentar as melhores condições para o seu momento como empreendedor. Além disso, há vários fatores a se analisar: tempo médio de retorno, investimento inicial, objeções da marca, entre outros.

Qual o valor de investimento em franquias?

O valor de investimento em franquias depende da marca e suas políticas. É possível encontrar empresas que cobram um valor considerável, acima dos R$50 mil, bem como organizações que não cobram nada e apenas exigem royalties.

A importância da tecnologia no setor de franquias

Como em qualquer tipo de negócio, a tecnologia tem um papel importante ao otimizar a gestão de processos, facilitar o monitoramento de desempenho e melhorar a produtividade empresarial.

Na gestão de franquias, não seria diferente — tanto para o franqueado, como (e especialmente) para o franqueador.

No caso de franquias varejistas, essa máxima não poderia ser diferente.

Com a tecnologia digital em evolução, a mobilidade se tornou uma necessidade, o que alterou a forma que consumidores compram.

É por isso que redes de franquias, ambientes de negócio que necessitam de alto desempenho operacional para lidar com seus clientes e gerenciar seus pontos de venda, podem se beneficiar da tecnologia em seu dia a dia.

TOTVS Varejo Franquias e Redes

O TOTVS Varejo Franquias e Redes é a solução indicada para modernizar a gestão de suas franquias, colocando à sua disposição todos os recursos necessários para alcançar os melhores resultados.

A plataforma da TOTVS, maior empresa de tecnologia brasileira, descomplica a administração tradicionalmente complexa, apresentando toda versatilidade, robustez e agilidade que uma franquia necessita.

Ou seja, falamos de poder para administrar tudo, do ponto de venda à retaguarda do negócio.

Que tal conhecer mais? Confira todas as possibilidades do TOTVS Varejo Franquias e Redes!

Conclusão

E você, gostou de aprender o que é franquia e porque esse modelo de negócio é tão importante hoje em dia?

Além de ser uma oportunidade incrível para empreendedores novatos e experientes, oferece às empresas a possibilidade de escalar a sua operação a níveis jamais imaginados.

Agora, seja para gerenciar o PDV como também o backoffice da sua rede, você já sabe que pode contar com o TOTVS Varejo Franquias e Redes!

Antes de finalizar, que tal se inscrever em nossa newsletter e receber direto em seu e-mail as nossas novidades?

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.