Gamificação da educação: vantagens, exemplos e como promover em sala de aula

Equipe TOTVS | 22 setembro, 2020

Um dos maiores desafios das escolas é atrair a atenção dos alunos no processo de aprendizagem. A gamificação na educação é uma alternativa que vem ganhando espaço entre as instituições para aumentar a participação e engajamento dos alunos nas salas de aula mundo afora.

Afinal, é uma estratégia extremamente eficaz, inovadora e que visa potencializar o aprendizado, que surgiu em um momento de questionamento dos métodos tradicionais de ensino, considerados pouco atraentes para as novas gerações, que crescem cercadas de tecnologia.

Preparamos um guia completo sobre o assunto. Que tal conferir? A seguir, explicamos o que é gamificação na educação e como promover essa ideia em uma instituição de ensino.

O que é gamificação na educação?

Gamificação na educação vem do termo em inglês gamification, que significa adotar conceitos de jogos dentro do processo de aprendizagem. Trata-se de trazer para a sala de aula desafios, regras e situações próximas ou adaptadas dos games, inclusive no âmbito visual, utilizando-se do design, por exemplo.

Os jogos podem ser virtuais ou mesmo analógicos, com metodologias ativas de aprendizagem que buscam despertar o interesse em um determinado assunto ou em um conjunto de temas.

Além disso, eles são provenientes de uma narrativa que visa promover situações-problema, com desafios que estimulam a criatividade e o engajamento dos alunos.

Desse modo, o método desenvolve habilidades distintas nos alunos, facilitando a compreensão do conteúdo de maneira mais prática por parte desses jovens.

Para que isso aconteça, é necessário traçar os objetivos, as métricas e os prêmios de cada atividade. Dessa forma, o estudante fica motivado para concluir seu desafio, passando por todas as etapas propostas.

Por que utilizar essa técnica em sala de aula?

Aplicar a gamificação na educação possibilita um melhor nível de aprendizado, por meio, principalmente, da diversão, do lúdico, e de objetivos, metas e conquistas a alcançar.

Em resumo: é uma estratégia que desafia os alunos, colocando-os como protagonistas de seu aprendizado.

Por causa dos recursos engajadores de games e storytelling, que tanto intrigam crianças e adultos, é natural que essa estratégia seja tão efetiva nos materiais de aprendizagem.

Na prática, a gamificação na educação envolve o uso de elementos baseados em jogos, como competição entre pares, trabalho em equipe, tabelas de pontuação para impulsionar o engajamento, ajudar os alunos a assimilar novas informações e testar seus conhecimentos.

Hoje, a gamificação é uma estratégia ampla, aplicada não apenas nas escolas básicas e ensino infantil, como também nos níveis mais avançados e em cursos técnicos ou práticos. Ou seja, serve para crianças, adolescentes, adultos e mesmo alunos da terceira idade.

Quais são os benefícios de aplicar a gamificação na educação?

A gamificação na educação pode garantir vários benefícios ao aprendizado na sala de aula, aumentando significativamente o engajamento dos alunos.

Existem vários métodos de ensino que podem ser implementados, mas, em geral, os benefícios concentram-se nos seguintes:

Dá ao aluno a oportunidade de receber um feedback instantâneo

Nos métodos de ensino tradicionais, o feedback é quase sempre pontual, disperso e desalinhado com os conteúdos estudados e com a jornada de aprendizagem momentânea.

É algo que não acontece em jogos educativos (especialmente em soluções digitais), pois existe a possibilidade de oferecer feedback instantâneo, ajudando a aprimorar a execução de tarefas na hora.

Além disso, professores e todo corpo docente tem como acessar a plataforma e visualizar os indicadores de sucesso dos alunos, entendendo em detalhes onde eles estão acertando e onde estão errando.

Assim, é possível oferecer um ensino mais personalizado para as necessidades de cada aluno ou grupo deles.

Ajuda a desenvolver competências socioemocionais importantes

Enquanto os métodos tradicionais por vezes tornam o aprendizado uma tarefa morosa, a gamificação na educação tem o poder de desenvolver competências socioemocionais importantes.

Entre elas a curiosidade, a criatividade, o raciocínio lógico e analítico, bem como sua capacidade de tomar decisões.

Aliás, a gamificação reduz o medo de falhar.

Na verdade, em um estudo de 2013 da Universidade de Toronto, descobriu-se que a gamificação incentiva os alunos a falhar e tentar novamente as tarefas sem constrangimento.

Essa persistência anda de mãos dadas com o progresso acadêmico, além de desenvolver coragem e resiliência para a vida adulta.

Todos esses são aspectos importantes para um melhor amadurecimento ao longo da sua formação humana, capaz de ajudar tanto na vida pessoal como na profissional, independente do caminho escolhido.

Gera maior engajamento nas aulas

gamificacao-na-educacao-engajamento

A gamificação na educação oferece a oportunidade para os alunos se envolverem com o conteúdo em um ambiente de aprendizagem informal, consideravelmente mais eficaz.

Por quê?

A gamificação na educação permite que a instituição de ensino crie ambientes de aprendizagem mais lúdicos e participativos, mitigando aquela aura mais “clássica” da sala de aula, como um ambiente engessado.

Além disso, a gamificação leva maiores desafios para a aula, engajando os alunos na resolução dos problemas e prendendo sua atenção — um fator decisivo para melhorar seu aprendizado.

Desperta o interesse dos alunos

A gamificação na educação pode ser implementada de várias formas, mas o mais interessante nessas múltiplas dinâmicas é que praticamente todas elas aumentam o interesse dos alunos naquilo que é ensinado.

Veja bem, quando falamos de gamificação, não se trata apenas de copiar o exercício do livro didático para a tela de um computador, mas efetivamente transformá-lo em um desafio lógico e lúdico.

Muitas vezes, para isso, é necessário utilizar recursos diferenciados, como storytelling, vídeo, interação com plataformas digitais, board games, entre muitos outros.

Promove aulas mais dinâmicas

O método tradicional de aprendizagem é comumente chamado de passivo pois coloca o aluno como mero espectador de pequenas “palestras” de seus professores.

Não é nada dinâmico e nem potencializa o aprendizado, obrigando os alunos a focar mais em memorizar informações do que, de fato, aprender.

A gamificação na educação muda esse panorama, tornando a jornada dos alunos mais dinâmica e ativa, colocando-os como protagonistas da própria aprendizagem.

Além disso, é algo que possibilita que a aprendizagem se torne um processo com resultados visíveis.

Seja com uma barra de progresso ou por meio do avanço por níveis a serem concluídos, esse tipo de estratégia oferece um norte ao aluno.

Ele sabe de onde partiu, onde está e onde precisa chegar. É um conceito bem simples, mas que muitas vezes não existe no ensino tradicional.

Sua evolução pode ser apresentada de diversas formas, como:

  • pontos ganhos;
  • mapa do conteúdo;
  • barra de progresso;
  • mecanismos de metas personalizados (por exemplo, “finalizar 10 tarefas por dia”).

Com essa visibilidade, os alunos são capazes de avaliar facilmente as próximas etapas necessárias, bem como o quanto eles progrediram em seu aprendizado.

Facilita a quebra de objeções

Na sala de aula, por conta dos diferentes graus de complexidade das matérias ensinadas, bem como dos diferentes níveis de atenção dos alunos, é comum que os professores enfrentem objeções constantes.

Na gamificação essa não é uma realidade tão frequente, já que os recursos de jogo tornam o conteúdo mais palatável, independentemente de sua dificuldade.

Permite a apresentação do conteúdo em etapas

Na gamificação na educação, o conteúdo pode ser absorvido em etapas bem delimitadas com desafios, missões e fases, simplificando o avanço do aluno.

Aperfeiçoa habilidades de comunicação

A gamificação permite que os alunos se engajem em desafios e competições em times, em que cada um tem suas próprias funções e o sucesso depende da sintonia de todos.

Isso exige (e estimula) a comunicação de um modo que métodos tradicionais não conseguem, desenvolvendo essa habilidade.

Desenvolve a habilidade analítica

Quando somos obrigados a resolver problemas, pensar de forma analítica, crítica e criativa, bem como usar habilidades de raciocínio em contextos mais autênticos, o aprendizado torna-se significativo.

Gera uma maior motivação dos alunos

Ter um propósito faz qualquer pessoa se sentir motivada e engajada para se envolver nas atividades de aprendizagem. 

É preciso instaurar na sala de aula um sentimento de que o aluno está ganhando algo realmente importante ao estudo e se envolver nos conteúdos e atividades.

Com a gamificação, é possível identificar como uma atividade específica irá ajudar cada um a atingir seus objetivos, o que aumenta seu nível de esforço e energia para alcançar o sucesso.

Traz resultados em todos os níveis de ensino

Por fim, vale ressaltar que a gamificação na educação é uma estratégia com recursos que podem ser aplicados em todos os níveis de ensino, dos mais fundamentais até os níveis de estudo mais complexos.

Como promover em sala de aula a gamificação na educação?

Desenvolver jogos educativos que atendam aos propósitos pensados anteriormente é um dos grandes desafios dessa metodologia. Confira alguns fatores que devem ser levados em conta:

  • Construir uma narrativa que faça sentido ao conteúdo da aula.
  • Estipular regras e dividir o conteúdo em fases, para que o aluno compreenda a importância de cada uma, não apenas do resultado final.
  • Ter, dentro de cada fase, um cenário e desafios com escolhas distintas, estimulando o aprendizado baseado em problemas.
  • Desenvolver, ao longo das etapas, tarefas referentes ao conteúdo da aula, com o acréscimo de dificuldade conforme o estudante avança.
  • Possibilitar, no início do jogo, que o aluno escolha um avatar, para que ele cumpra os desafios propostos seguindo o seu perfil (competidor, conquistador, explorador ou socializador, como explicaremos mais abaixo).
  • Viabilizar a interação entre as turmas em determinados momentos, incentivando o trabalho em equipe e a cooperação — o que amplia as competências socioemocionais de cada indivíduo.
  • Definir restrições de tempo e ritmo, para que a atividade seja fluída, de acordo com o modelo proposto.
  • Estabelecer pontuações delimitadas, para que os jogadores saibam e busquem o progresso dentro da atividade, sabendo o que precisa ser feito em cada fase.
  • Mostrar aos alunos, de forma lúdica, o que eles estão acertando e errando e os porquês, criando, assim, uma espécie de personagem-tutorial, ou sistema de métrica.

Exemplos de gamificação na educação

É possível implementar a gamificação na educação de várias maneiras, em múltiplas áreas de estudo — seja sem ajuda da tecnologia, ou com auxílio de recursos e sistemas tecnológicos.

Como funciona na prática? A gamificação trata-se basicamente de levar elementos baseados em jogos (game-based) para a sala de aula, integrando-os às atividades de ensino já trabalhadas ou servindo de base para criação de novas.

Alguns exemplos desses elementos da gamificação na educação são:

  • feedback instantâneo;
  • incentivo à diversão;
  • aprendizagem em etapas;
  • indicadores de progresso;
  • storytelling e narrativa;
  • aluno em controle do progresso.

Agora, devemos utilizar um, dois ou qualquer um destes elementos? Nesse caso, cabe uma avaliação dos seus métodos e filosofia de ensino.

Uma combinação adequada de elementos da gamificação na educação pode criar uma experiência de aprendizado marcante e única.

E a melhor combinação é aquela que cria engajamento sustentado, considera as necessidades exclusivas dos alunos e faz mais do que apenas usar pontos e níveis para motivar os participantes.

Os sistemas de gamificação mais eficazes fazem uso do storytelling, incentivam a conexão com alunos e criam uma dinâmica de aprendizagem em etapas para capturar o interesse do aluno.

Separamos alguns exemplos que realmente aproveitam os recursos de gamificação para oferecer uma experiência diferenciada e única. Confira:

Duolingo

O aplicativo de aprendizagem de línguas oferece vários elementos baseados em jogos para incentivar os usuários a seguir em seus estudos.

Com diferentes níveis baseados nas habilidades dos alunos, existe um sistema de recompensa por pontos para usuários que concluírem tarefas dentro do prazo, ganhando alguns benefícios como recompensa.

Além disso, o Duolingo oferece metas diárias para incentivar os alunos a continuar acessando o app.

Medieval Swansea

É,literalmente, um jogo de história, no qual os alunos assumem o papel de um detetive para resolver um mistério.

As ideias básicas do jogo incluem vários cenários conduzidos por diferentes caminhos, bem como testemunhas e fases narrativas, incluindo o fator progressão.

Cada estágio coloca os alunos em novos desafios e fornece feedback instantâneo.

Quanto melhor eles atuam, melhor eles podem seguir em frente no jogo.

Ele pode ser jogado em qualquer dispositivo.

Kahoot

gamificacao-na-educacao-kahoot

O Kahoot é, na verdade, um app de aprendizagem de perguntas e respostas que pode ser utilizado por professores na criação de conteúdos gamificados.

Nele, os docentes podem criar um questionário específico, simples mas com identidade visual marcante e com um sistema de pontuação, que pode ser aplicado nas aulas.

ENEM GAME

Exatamente o que o nome dá a entender: o ENEM GAME é a versão de estudos gamificada do Exame Nacional do Ensino Médio.

Embora possa parecer, esse não é um produto do Ministério da Educação, mas um jogo educativo independente, utilizado tanto por alunos quanto por instituições de ensino, que conta com perguntas de edições anteriores do ENEM.

Possui uma versão gratuita e também paga.

Os quatro perfis de alunos na gamificação

  • Competidor: gosta da disputa entre os jogadores, com o objetivo de conseguir prosperar no jogo a partir das vitórias nessas disputas.
  • Conquistador: busca a recompensa e o destaque em meio ao desafio. Tem como principal objetivo estar entre os melhores, acumulando o máximo possível de pontos.
  • Explorador: quer descobrir e compreender ao máximo o jogo, o que envolve suas histórias, os contextos e o que mais estiver relacionado ao desafio.
  • Socializador: gosta de compartilhar a experiência do desafio com outras pessoas, aproveitando as oportunidades para  participar e trabalhar em equipe.

Como a pirâmide de aprendizagem se relaciona com a gamificação na educação?

A gamificação na educação leva em conta também a metodologia da pirâmide de aprendizagem, do estadunidense William Glasser, que mostra que quanto mais nos relacionamos de forma ativa com o tema, melhor assimilamos o conteúdo.

A teoria, de forma geral, diz que aprendemos:

  • 10% do conteúdo quando lemos;
  • 20% quando escutamos;
  • 30% ao observarmos ou assistirmos a algum conteúdo;
  • 50% quando observamos e escutamos;
  • 70% ao fazermos uma reflexão, discussão ou debate sobre o assunto, com perguntas e tentativas de respostas,
  • 95% quando temos que passar o ensinamento a alguém, fazendo uma contextualização e um resumo, estruturando o conhecimento e definindo-o de forma concreta.

Os exemplos de gamificação na educação, portanto, vão ao encontro da pirâmide de aprendizagem, já que os alunos, ao participarem de atividades gamificadas, atuam de forma ativa dentro do assunto, adquirindo o conhecimento e trabalhando com ele de forma prática.

O conhecimento é passado para outras pessoas, em momentos de trabalho em equipe, no meio da atividade ou no final da aula, quando o professor comenta sobre o desafio, ouvindo como foi a experiência de cada um de seus alunos.

Como aplicar a gamificação na educação em uma instituição de ensino?

Para aplicar a gamificação na educação, é necessário mudar a maneira de educar, levando os conceitos da metodologia para o cotidiano da instituição. Para que isso aconteça, o ideal é contar com um corpo docente capacitado e instrumentos tecnológicos de apoio, como um software de gestão, por exemplo.

Outro ponto que precisa ser revisado é o projeto político-pedagógico implementado na instituição, que deve abordar o tema como uma de suas bases, promovendo a metodologia e fazendo com que ela seja aplicada de maneira programada, com as atividades sendo descritas e organizadas.

Usar novas tecnologias no aprendizado de crianças, jovens e adultos faz parte da revolução que a educação brasileira passará nos próximos anos, com a modernização dos espaços e também dos próprios alunos, que crescem imersos nessa realidade.

Aplicações da gamificação em crianças com dificuldade de aprendizagem

A gamificação pode ser uma excelente solução para conduzir processos de ensino para crianças, adolescentes e adultos com problemas de aprendizagem, fortalecendo a educação inclusiva.

Inclusive, de acordo com um estudo da USP, a união de gamificação com métodos de psicologia mostrou bons resultados no engajamento e aprendizagem de crianças diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Conclusão: é uma estratégia que trabalha vários aspectos e habilidades socioemocionais — indo muito além da leitura de conteúdos.

A tecnologia na gamificação da educação

gamificacao-na-educacao-resultados

Como mencionamos, a gamificação não é uma estratégia exclusiva do meio digital. Existem várias soluções e métodos analógicos, como jogos e board games, que podem ser utilizados na sala de aula.

No entanto, com o uso da tecnologia, a gamificação na educação fica completa: é possível oferecer conteúdos mais interativos e dinâmicos, acessar dados das atividades realizadas, bem como gerar relatórios aprofundados sobre os resultados de cada aluno.Desse modo, é mais fácil aplicar os conteúdos e atividades gamificadas, bem como oferecer o ensino adaptativo, com análise das informações que pode ser feita com mais eficiência.

Nova call to action

Saiba mais sobre educação com a TOTVS

Muito além do que sua instituição entrega em sala de aula, o caminho para o sucesso também passa por uma excelente gestão educacional, algo que seu negócio consegue com o TOTVS Educacional.

A tecnologia completa para educação básica, superior e continuada, melhora sua gestão administrativa e acadêmica, bem como oferece recursos que otimizam a comunicação entre todos os envolvidos no ensino: instituições, professores, alunos e responsáveis.

Que tal conferir mais sobre as tecnologias TOTVS Educacional e como os sistemas da maior empresa de tecnologia do Brasil podem profissionalizar sua gestão?

Conclusão

A gamificação na educação é um passo decisivo para o futuro do aprendizado no Brasil e no mundo.

A partir de elementos baseados em jogos, é possível fazer com que o ensino estimule o uso da imaginação e suas poderosas ferramentas para contribuir no aprendizado, amadurecimento e evolução da pessoa.

Na prática, a gamificação potencializa o engajamento, a consciência e a produtividade dos alunos, bem como melhora o desempenho de seus métodos de ensino.

Agora que você conhece mais sobre a gamificação na educação, confira também outros conteúdos do blog da TOTVS sobre gestão para instituições de ensino e seus desafios.Se você gostou deste conteúdo, leia também sobre educação inclusiva, acompanhe o blog e assine nossa newsletter.

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.