Conheça as funções do conselho de administração e saiba como montar um

Equipe TOTVS | 30 agosto, 2022

O conselho de administração em uma empresa é parte essencial de levantamentos e discussões de aspectos importantes para a organização, como prestação de contas, responsabilidade administrativa e equidade, por exemplo.

As tomadas de decisão e os planejamentos podem ser muito mais seguros e eficientes com a atuação do conselho. 

Considerando a importância do board para os negócios, é necessário estar por dentro do conceito e conhecer as principais atribuições desse grupo. 

Se você também quer entender como o conselho funciona, quem o integra e como implementar na sua empresa, continue com a leitura deste artigo para saber mais sobre o assunto!

O que é um conselho de administração?

Um conselho de administração, ou conselho consultivo, é responsável por supervisionar as atividades administrativas de uma empresa, emitindo pareceres sobre estratégias e ajudando a avaliar resultados e prestação de contas.

Portanto, a principal função do conselho administrativo é a busca pelo retorno sobre investimento (ROI). 

Sendo assim, fica também a cargo do grupo a identificação de novas oportunidades de negócio e a criação de vantagem sobre a concorrência.

É comum, em organizações dos mais variados segmentos, que o próprio CEO se reporte ao conselho, trazendo informações, novos planos e métricas de avaliação de desempenho.

A criação do conselho de administração é uma das principais ações observadas no manual de boas práticas da governança corporativa e que podemos associar ao sucesso e ao crescimento de uma empresa.

Como funciona o conselho administrativo de uma empresa?

O principal objetivo do conselho administrativo é manter um direcionamento estratégico nas ações do negócio, visando a um retorno positivo sobre os investimentos ali realizados.

Para que isso aconteça, é fundamental estabelecer um regimento interno, que vai delimitar funções e responsabilidades, garantindo uma execução eficiente do planejamento administrativo.

Os conselheiros são os pilares da governança corporativa, responsáveis por acompanhar de perto os movimentos da diretoria, sempre prezando pelos interesses dos acionistas

No dia a dia, eles fazem a ponte entre os gestores e os stakeholders da organização, ajustando definições estratégicas com execução das ações.

Dessa forma, o conselho exerce papel essencial no processo de desenvolvimento de um negócio, garantindo transparência, segurança e eficiência nas atividades. 

Características do conselho de administração

A atuação dos conselheiros não está diretamente ligada às atividades operacionais, mas ao controle interno da organização, implementando inclusive normas de padronização de processos e outras metodologias que visem ao bem-estar da empresa.

É de responsabilidade do conselho a elaboração de relatórios correspondentes a um período — seja trimestral, semestral ou anual —, referentes ao controle de gastos e à prestação de contas. 

Pontos como treinamentos de colaboradores, auditorias e consultorias, por exemplo, entram nessa conta.

Conselho interno, externo e independente

Na gestão empresarial, os integrantes do conselho de administração podem ser internos, externos ou independentes. Mas quais são as diferenças entre cada um deles?

  • Conselho interno: é representado pelos próprios colaboradores ou gestores da empresa. Uma vez que fazem parte da estrutura interna, é necessário um foco maior na imparcialidade e ações que não provoquem conflitos de interesses;
  • Conselho externo: não há relação direta com a organização, mas fatores de codependência ainda podem estar associados, com a inclusão de ex-gestores, advogados e consultores que já prestaram serviços para a empresa. Em empresas familiares ou em casos de planejamento sucessório, é possível que haja relação parental;
  • Conselho independente: não possui nenhum vínculo com a instituição. É comum em empresas de capital aberto, em que os conselheiros independentes têm maior poder de decisão.

Qual a função do conselho de administração?

Ao considerarmos o que faz o conselho de administração, podemos dividir suas atividades em três frentes, sendo elas: funções normativas, funções administrativas e funções de fiscalização e controle.

Saiba mais sobre as responsabilidades de cada função a seguir.

Funções normativas

As funções normativas direcionam as ações da empresa, definindo planejamento estratégico, posicionamento de marca, público-alvo e core business da organização. 

Esse setor tem extrema relevância, uma vez que define a missão da companhia e como ela se colocará no mercado.

Funções administrativas

As funções administrativas representam as atividades que cumprem o direcionamento definido e consideram pontos como:

  • determinação de valores e diretrizes da empresa;
  • gestão de pessoas, com contratação e avaliação de membros da diretoria;
  • avaliação de riscos e supervisionamento de gestores e de sua relação com os setores que administram e com os seus colaboradores;
  • prestação de contas a investidores;
  • decisões sobre abertura de capital, aquisições, fusões e parcerias com outras empresas;
  • análise de práticas financeiras e cumprimento de compliance.

Funções de fiscalização

As funções de fiscalização e controle avaliam ao final de um determinado período se os requisitos colocados e os objetivos traçados foram seguidos e alcançados. 

São comparados desempenhos e produtividade de colaboradores, lucratividade e enquadramento em normas legais, por exemplo. 

Dessa forma, um novo planejamento pode ser traçado, corrigindo pontos negativos e aperfeiçoando pontos positivos.

Nova call to action

Quem são os membros do conselho de administração de uma empresa?

Antes de compartilharmos quem são os membros do conselho administrativo, é importante esclarecer que o número de colegiados pode variar de uma empresa para outra, de acordo com o porte e as necessidades de cada uma.

Em empresas de pequeno e médio portes, por exemplo, a estrutura do conselho pode ter entre três e cinco integrantes. 

Nas organizações maiores, a quantidade pode chegar a 11 ou até mais.

Os integrantes correspondem aos três grupos já apresentados aqui: conselheiros internos, externos e independentes.

A única recomendação é manter números ímpares para evitar os empates nas votações para tomadas de decisões. 

Além disso, também indica-se que os membros sejam profissionais de diferentes competências para manter a diversificação de opiniões no grupo.

Como é feita a votação para escolha dos membros?

Como o conselho representa os desejos dos acionistas, a votação para escolher os conselheiros é realizada entre os sócios.

Para a composição do conselho de administração, é importante considerar o nível de experiência dos candidatos, assim como o alinhamento de cada um com a cultura organizacional da empresa.

Todos os membros do conselho devem ser qualificados para o posto e não podem estar envolvidos em situações de conflito de interesses, o que poderia prejudicar as votações.

Quais são as funções do presidente do conselho de administração?

O presidente do conselho administrativo de uma empresa tem como principal função representar os interesses do colegiado.

Na prática, ele atua fazendo a ponte com a equipe executiva para garantir que as decisões e orientações estratégicas definidas pelo conselho sejam colocadas em prática.

Além disso, o presidente também atua como consultor e tem um relacionamento direto com o CEO da organização, auxiliando inclusive – e especialmente – nos momentos de crise.

A importância do conselho de administração na governança corporativa

Independente do tamanho da empresa, a governança corporativa sempre é beneficiada pela implementação de um conselho consultivo. 

Esse método de governança é utilizado para monitorar e orientar as atividades diárias do negócio, envolvendo diretamente a atuação do conselho administrativo, dos sócios e da diretoria. 

O papel principal do conselho aqui é garantir que os princípios da governança sejam cumpridos pela gestão empresarial, além de contribuir com o planejamento estratégico da empresa.

Dessa forma, é possível assegurar decisões responsáveis, transparentes e alinhadas com os interesses da organização.

Com isso, o conselho trabalha em união com a governança corporativa e, juntos, eles contribuem para aumentar a credibilidade da marca no mercado.

Como montar um conselho de administração?

A estruturação do conselho é uma etapa muito importante, pois ações sem planejamento podem acarretar na escolha de membros despreparados ou na falta de alinhamento dos processos. 

Organização e planejamento são palavras-chaves para garantir a implementação de um conselho administrativo bem sucedido, capaz de trazer contribuições realmente efetivas.

Pensando nisso, separamos algumas características e dicas indispensáveis para quem vai montar um conselho no seu negócio. 

Confira os passos fundamentais para essa estruturação a seguir.

  1. Considere o porte da empresa;
  2. Tenha objetivos bem definidos;
  3. Considere a opinião dos sócios e acionistas;
  4. Crie um conselho de administração diverso;
  5. Certifique-se da boa comunicação entre os membros;
  6. Em determinados momentos, crie comitês especializados;
  7. Ofereça uma boa remuneração aos envolvidos;
  8. Faça reuniões periódicas;
  9. Conte com a tecnologia.

1. Considere o porte da empresa

Como já citamos aqui, o porte da empresa é um fator importante na hora de decidir a quantidade de membros do conselho. 

Aqui, o raciocínio é simples: quanto maior o negócio, maior o número de conselheiros. 

Isso porque as demandas das empresas variam muito de acordo com o tamanho e é fundamental que cada organização tenha um conselho capaz de atender às suas necessidades. 

Neste momento, pense também a longo prazo, avaliando o ritmo de crescimento esperado para o seu negócio. 

2. Tenha objetivos bem definidos

É muito importante definir os objetivos do conselho e mantê-los sempre muito bem alinhados com todos os membros, garantindo a fluidez das ações e estratégias.

Para isso, o regulamento interno tem papel fundamental, contribuindo para que os objetivos estejam na ponta da língua.

Ainda neste tópico, vale relembrar alguns propósitos comuns em todos os conselhos administrativos, como:

  • defender o interesse dos acionistas;
  • maximizar os ROI da empresa;
  • elevar o valor do negócio.

3. Considere a opinião dos sócios e acionistas

O conselho é o grande elo entre sócios e acionistas com a empresa, por isso é de extrema importância levar a opinião deles em consideração, seja na nomeação de membros ou no dia a dia.

Essa participação ativa de pessoas comprometidas com a estruturação do conselho faz toda a diferença para colocar as ações planejadas em prática.

4. Crie um conselho de administração diverso

No momento de eleger os conselheiros, busque uma composição diversificada para trazer diferentes pontos de vista ao board. 

Inclua membros com qualificações distintas e complementares, assim é possível garantir uma avaliação mais ampla das situações no momento da tomada de decisão. 

Além disso, procure manter o equilíbrio entre o número de conselheiros internos, externos e independentes.

5. Certifique-se da boa comunicação entre os membros

conselho de administração

Além de conhecerem os objetivos empresariais para manter um engajamento com as ações estratégicas, os conselheiros também devem estar alinhados entre si.

Uma boa comunicação é a base para que o conselho trabalhe de forma unificada, buscando as melhores soluções para o desenvolvimento da empresa.

Essa comunicação deve se estender para os setores que estão diretamente ligados ao conselho, como é o caso da diretoria, que é parceira fundamental na execução das orientações técnicas.

6. Em determinados momentos, crie comitês especializados

Os chamados comitês técnicos são grandes aliados em situações específicas, pois conseguem oferecer uma análise qualificada e determinar ações personalizadas de acordo com cada cenário.

Eles são formados por grupos especializados naquela necessidade particular da empresa e vão apresentar um parecer técnico. 

Isso agiliza a tomada de decisões e ainda traz mais assertividade ao processo avaliativo, assim como na busca por ações mais efetivas. 

7. Ofereça uma boa remuneração aos envolvidos

Qual profissional não deseja ter o seu trabalho valorizado, não é mesmo? Com os membros do conselho administrativo isso não é diferente.

Com isso em mente, e lembrando que esses profissionais exercem uma função de grande responsabilidade, procure oferecer uma remuneração justa e coerente com o mercado.

Além disso, conselheiros valorizados são mais motivados, por isso tendem a ser mais comprometidos, ativos e produtivos no exercício das suas funções. 

8. Faça reuniões periódicas

É importante estabelecer reuniões periódicas entre os conselheiros, tanto para acompanhamento, quanto para desenvolvimento de novas pautas.

Durante a estruturação do conselho, determine uma frequência para as reuniões e já defina um calendário anual para elas. O ideal é que os encontros sejam mensais ou bimestrais.

Para garantir uma reunião produtiva, é importante ter pautas muito bem definidas e uma ata bem elaborada sobre os assuntos tratados e decisões tomadas neste encontro.

Além das reuniões, defina também avaliações periódicas de desempenho do conselho e também de clima organizacional para identificar problemas que podem atrapalhar a atuação da equipe.

9. Conte com a tecnologia

A utilização de sistemas de gestão é uma forma de otimizar os processos e garantir a transparência na governança corporativa.

Existem diversas soluções tecnológicas que contribuem para o controle financeiro e operacional da empresa, além de auxiliar no planejamento estratégico. 

Por meio da análise de dados, também é possível fazer um acompanhamento mais próximo dos indicadores de desempenho e do time de maneira geral. 

Todas essas ferramentas auxiliam o conselho na tomada de decisões e permitem direcionar o foco para ações mais práticas, buscando o aprimoramento da empresa. 

A grande vantagem de um bom ERP (Enterprise Resource Planning) é a possibilidade de integrar essas informações e, a partir disso, manter um fluxo de tarefas mais eficiente mesmo entre diferentes setores, aumentando a produtividade do negócio.

Conselho de administração: dúvidas frequentes

A operação de estruturação do conselho administrativo pode trazer diversas dúvidas sobre seu funcionamento, por isso decidimos responder alguns dos principais questionamentos em relação ao assunto. 

Entenda mais sobre a implementação, a importância e o funcionamento do conselho com as respostas para essas dúvidas frequentes a seguir. 

Toda empresa precisa de um conselho de administração?

Em alguns casos, a implementação de um conselho é uma obrigatoriedade prevista na legislação brasileira. É o que acontece com empresas abertas, de capital autorizado e de economia mista.

Apesar de não ser uma obrigação para todas as empresas, o conselho com certeza traz muitos benefícios para organizações de diferentes segmentos, tamanhos e tempo de mercado.

Isso porque a função dos conselheiros é garantir o seguimento do planejamento estratégico da empresa, assim como tomar decisões visando maximizar o retorno dos investimentos.

Vale lembrar que os membros do conselho atuam de maneira imparcial. Por isso, nenhum interesse particular passará sobre os interesses da empresa.

Qual a diferença entre conselho de administração e diretoria?

O conselho define políticas de relacionamento com os envolvidos, buscando proteger e valorizar o patrimônio da empresa, além de orientar sobre estratégias e acompanhar as ações da diretoria.

Apesar desse monitoramento e da ação conjunta dos setores em prol do desenvolvimento do negócio, a diretoria apresenta algumas funções distintas do conselho administrativo.

Dentro da organização, a diretoria executiva tem o papel de implementar as ações estratégicas e as políticas de relacionamento definidas pelo conselho. 

Ou seja, a diretoria é o lado mais responsável pela execução dos processos, pela parte prática da operação, enquanto o conselho cuida mais da etapa de análise, planejamento e definição estratégica.

Quanto ganha um membro do conselho de administração?

Segundo dados da pesquisa Remuneração de Conselheiros em Empresas de Capital Fechado, 57,6% dos conselheiros administrativos ganham até R$15 mil por mês.

O estudo, realizado pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), mostrou que a faixa de remuneração dos membros costuma ficar entre R$10 mil e R$15 mil.

Além disso, o Instituto destacou o comprometimento das instituições com essa estruturação. Segundo o relatório, a grande maioria das organizações garantem salário mensal fixo para esses profissionais.

Como falamos, esse reconhecimento é de extrema importância para valorizar a atuação dos conselheiros e manter a motivação no dia a dia, contribuindo para a produtividade nas ações.

Otimize sua gestão empresarial com a TOTVS

Lembra quando falamos sobre como os sistemas de gestão empresarial podem auxiliar na estruturação do conselho e no direcionamento estratégico do negócio?

Como a maior empresa de tecnologia do país, reforçamos ainda mais as melhores práticas de gestão e inovação nas organizações com a ação da tecnologia, com softwares e sistemas que atendem a organizações dos mais variados segmentos, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte.

Por isso, desenvolvemos ERPs altamente configuráveis, capazes de atender às necessidades das mais diferentes empresas. 

Do controle financeiro ao gerenciamento fiscal e até a administração das vendas, os sistemas oferecem todas as funcionalidades necessárias para otimizar processos a partir da automação. 

Além disso, permitem a integração dos módulos responsáveis pela automatização das tarefas administrativas, garantindo a centralização de informações.

Para completar, a TOTVS ainda oferece um portfólio repleto de tecnologias para complementar o seu ERP e ampliar ainda mais a eficiência do sistema de gestão.

Aumente a eficiência do seu negócio com os sistemas de gestão da TOTVS!

Conclusão

Ao longo deste artigo, explicamos o que é conselho de administração e qual sua importância para os negócios. 

Mostramos suas principais características e como se dividem interna ou externamente, além de apresentar suas principais funções dentro da organização.

Para completar, compartilhamos dicas exclusivas e indispensáveis para a montagem de um conselho realmente qualificado.

Ainda neste conteúdo, falamos sobre como a tecnologia pode auxiliar neste processo, nas ações diárias do conselho e no gerenciamento completo do seu negócio.

Como vimos, os sistemas de gestão, como o ERP da TOTVS, são grandes aliados na otimização operacional e no aumento da eficiência de empresas de diferentes portes em todos os segmentos.

A TOTVS acredita no Brasil que faz. 

Se você gostou do conteúdo e quer entender melhor como sua empresa pode crescer e se destacar no mercado, descubra por que adotar um ERP

Não se esqueça de continuar acompanhando o blog da TOTVS e assinar nossa newsletter, para não perder nenhuma novidade e conferir dicas especiais para melhorar cada vez mais a sua organização.

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.