Supply Chain: Conheça 7 principais tendências do setor

Foi na fábrica de Highland Park (EUA), em 7 de outubro de 1913, que a linha de montagem da Ford começou a se mover pela primeira vez na história. Esse dia marcou o início de uma série de avanços que, muitos anos depois, deu contornos ao que hoje a indústria conhece como supply chain.

De perfil dinâmico, a cadeia de suprimentos cresceu conforme as linhas de produção se tornaram mais ágeis, econômicas e eficientes. A tecnologia teve um papel importante nesse processo e continuará ditando o ritmo de desenvolvimento do supply chain.

Listamos algumas das principais tendências tecnológicas para os próximos anos. Acompanhe!

1. Omnichannel

O rápido crescimento do comércio eletrônico em detrimento do padrão tradicional, trouxe uma nova realidade para comerciantes e gestores. Em resposta a isso, o omnichannel ganhou força e segue como tendência.

Na indústria já se percebe o uso de estratégias de omnichannel para ofertar produtos às empresas, isso a partir de e-commerces focados na relação B2B entre indústria e clientes pessoa jurídica. Dessa forma, é oferecido mais um canal de vendas ao público, agregando agilidade e inovação ao processo de vendas.

2. Blockchain

Como a cadeia de suprimentos passa por diversas localidades e engloba pagamentos, pessoas e entidades por longos períodos de tempo, há interesse em tecnologias como o blockchain. Para o futuro, espera-se que esse recurso sirva para trocas, acordos, gestão de contratos, rastreamento e pagamentos.

O blockchain pode melhorar a visibilidade das atividades industriais, revelando, por exemplo, onde um ativo está, em qual etapa se encontra e quem é o proprietário, melhorando a eficiência e transparência das cadeias de suprimentos, impactando positivamente processos como armazenamento, entrega e pagamento.

indústria 4.0

3. Impressão 3D

A impressão 3D pode destoar dos processos de supply chain, mas é uma tendência para a otimização da cadeia. A possibilidade de produzir peças, ferramentas e até equipamentos viabiliza a fabricação de diferentes componentes em locais mais próximos do consumidor final.

Isso reduz a necessidade de armazenamento, transporte e, claro, mão-de-obra, já que essa tecnologia tem alto potencial de automatização. As impressoras 3D também auxiliam a prototipagem de produtos, reduzindo o time to market das indústrias e, consequentemente, a disponibilização de novos itens no mercado.

4. Inteligência artificial

Nos próximos anos, a inteligência artificial deve ficar mais ampla e eficiente, auxiliando ou assumindo a execução de processos em supply chain. Atualmente ela é utilizada para monitorar a relação das empresas com seus clientes, ou como assistente pessoal dos consumidores.

Através da análise de dados do histórico de vendas, algoritmos traçam precisamente o perfil dos clientes, com o objetivo de estabelecer o padrão de compra, assim como aprender e se adaptar às mudanças de comportamento, decidindo imediatamente se o cliente está ou não em risco de churn.

5. IoT

A Internet of Things (IoT), nesse contexto, viabiliza o diagnóstico preciso e integrado de cada processo, máquina e dispositivo, permitindo aos gestores adotar uma postura preventiva nas operações de transporte. Ela identifica problemas que podem interferir em toda a cadeia.

A IoT contribui para o monitoramento de todo o chão de fábrica para otimizar a sua produtividade, a partir da identificação de gargalos e erros nos processos. No mesmo sentido, auxilia também na manutenção de máquinas, no monitoramento e satisfação do ambiente.

6. RPA

A Robotic Process Automation (RPA), ou automação de processos robóticos, em português, também está inserida no contexto futuro da supply chain. Com a RPA, os líderes da cadeia de suprimentos poderão reduzir custos, acelerar processos e integrá-los a sistemas ainda mais inteligentes e autônomos para conduzir as diferentes etapas da cadeia.

Uma organização pode se valer do RPA, operando com base em dados estruturados para automatizar uma tarefa ou um processo manual existente, como acontece com a automatização do processo de empacotamento de produtos finalizados na indústria.

7. Analytics

A análise de dados se tornou um dos grandes pilares das organizações, subsidiando decisões e antecipando cenários positivos e negativos nos mais variados mercados, mitigando riscos e atuando com foco nas demandas futuras.

A Data Analytics segue como tendência, pois a análise preditiva melhora a tomada de decisões em áreas estratégicas, como planejamento da cadeia de fornecimento, distribuição e transporte.

O que se espera é que, com o passar dos anos e a evolução das ferramentas de análises de dados, cada vez menos as decisões sejam tomadas com base em avaliações humanas e passem a se apoiar em dados preditivos, big data, BI, entre outros conceitos associados à inteligência dos dados.

As tendências citadas são alguns exemplos de variáveis que impactam esse setor e servirão de base para que muitas inovações e otimizações ocorram dentro das empresas em um futuro próximo. Se quer conhecer mais sobre, entre em contato com um dos nossos especialistas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *