edge-computing

Edge computing: Conheça o conceito e suas aplicações

Equipe TOTVS | INOVAÇÕES | 23 março, 2020

Em uma definição simples, quando falamos de edge computing falamos sobre ferramentas capazes de processar dados e fazer análises avançadas. O termo “edge” refere-se ao universo de dispositivos conectados pela internet, indo na contramão da computação em nuvem.
Dessa forma, o conceito oferece novas possibilidades em aplicações de IoT, principalmente para aquelas que dependem de computação cognitiva. Exemplos dessas tarefas são detecção e reconhecimento de faces, processamento de linguagem e prevenção de obstáculos.

Em uma esfera mais ampla, porém, a definição corresponde à rede de dispositivos de computação de borda, ou seja, que abrangem qualquer elemento conectado, passando por drones, carros autônomos e dispositivos de IoT, em geral. Achou complexo? Continue a leitura do artigo que preparamos e entenda um pouco mais!

Qual a importância da edge computing?

Agora que já contextualizamos o que é cloud computing, você deve saber que a realidade aumentada é um ponto que só tem a ganhar com o edge computing, afinal seu funcionamento depende de uma conexão à web potente para obter uma experiência imersiva.

A edge computing permite que as partes do pipeline de renderização sejam descarregadas na nuvem, contornando esses problemas. Outros pontos positivos incluem a capacidade de análises e captação de dados, permitindo tomadas de decisões praticamente imediatas.

Além disso, o risco de vazamento de dados é minimizado, pois são armazenados localmente, de acordo com a capacidade de processamento. Seguindo essa lógica, as organizações desfrutam de maior controle sobre a divulgação de informações e se alinham às políticas regulatórias.

Os benefícios trazidos pela edge computing

A computação de ponta age em situações que não podem ser resolvidos com a abordagem em nuvem, devido a requisitos da rede ou outras restrições em geral. Por se concentrar em pequenos e diversificados locais de computação a abordagem é capaz de:

  • Reduzir o custo da rede;
  • Evitar limites de largura de banda;
  • Diminuir atrasos de transmissão;
  • Restringir falhas no serviço,
  • Proporcionar controle sobre movimentação de dados.

Para os usuários, isso significa uma experiência mais rápida e estável. Para empresas e provedores de serviço, o conceito de edge computing traz aplicações de baixa latência e alta disponibilidade, com monitoramento em tempo real.

Edge Computing e Internet das Coisas

A Internet das Coisas (IoT) diz respeito aos objetos que podem se tornar smart por meio de conexão com a internet. A partir daí, os dispositivos passam a receber e enviar dados, sem a necessidade de intervenção humana.

A presença da edge computing é bastante relevante nesse cenário, auxiliando na transmissão e tratamento de dados em tempo real, sem interferência de falhas. Já imaginou o desastre causado por um carro autônomo que perde a conexão?

Os dados, portanto, são gerenciados de forma mais direta, permitindo que os dispositivos de IoT tenham capacidade computacional e de processamento sem depender tanto da nuvem. Mas vamos falar mais sobre isso a seguir.

Diferenças entre edge computing e cloud computing

Por mais que estejam relacionados, os conceitos de edge computing e cloud computing se diferem. Tradicionalmente com o objetivo de concentrar os serviços em alguns data centers, a cloud computing possibilita escalar e compartilhar os recursos com mais eficiência e manter o controle e segurança de TI na empresa.

Enquanto isso, a edge computing transfere perfeitamente suas operações inteligentes para “as bordas” da nuvem, da forma que o fluxo de trabalho exigisse no momento. Consequentemente, isso significa que decisões poderão ser tomadas mais próximas ao sensores e dispositivos de IoT.

Um exemplo claro disso é o processamento de imagens: dentro do segmento de manufatura, análises visuais próximas a uma linha de produção podem monitorar a qualidade da operação, economizando uma grande quantidade de tempo e recursos, graças ao envio de grandes quantidades de dados para o processamento via nuvem.

Edge computing é o futuro: esteja preparado!

Nesse artigo, explicamos um pouco sobre o que é e como a edge computing pode mudar diversos processos e rotinas de diferentes setores de mercado. Para estar sempre atualizado e manter seu negócio competitivo, é importante estar atento aos movimentos, tendências e ciclos que a tecnologia percorre.

Você se interessa por temas como esse? Se quer conhecer mais sobre os próximos passos trazidos pelo desenvolvimento e inovações, pode conferir outro artigo ligado ao assunto.

A TOTVS é referência no mercado de inovação. Para não perder nenhuma novidade, continue acompanhando nosso blog e não deixe de assinar a newsletter. Receba novos artigos diretamente em seu e-mail e fique por dentro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.