Alimentação fora do lar: desafios e tendências para os próximos anos

Equipe TOTVS | 17 novembro, 2021

A alimentação fora do lar é um dos reflexos da rotina das pessoas que se dividem entre jornada de trabalho e/ou estudos fora de casa. 

Com a necessidade de fazer refeições nas ruas, muitas pessoas revezam entre as opções de restaurantes, food trucks e as infinitas opções de serviços de delivery.

Nos últimos anos, por conta do cenário de pandemia, o crescimento do setor de alimentação fora do lar sofreu um grande impacto.

Para contornar um momento de crise e atender uma nova necessidade das pessoas, muitos empreendedores do segmento alimentício resolveram migrar para outras opções de atendimento.

Uma dessas apostas, que já era uma tendência de mercado há alguns anos, são as chamadas dark kitchens ― cozinhas que só atuam por entrega a domicílio. 

Por outro lado,ao passo que as campanhas de vacinação avançam, a necessidade das pessoas de realizar a alimentação fora do lar vai voltando ao normal, revelando um futuro aquecimento do setor, mas ainda cheio de desafios.

Se você deseja saber mais sobre o crescimento do setor de alimentação fora do lar em 2021, continue a leitura!

O mercado de alimentação fora do lar nos últimos anos

Se olharmos para a última década até o momento em que estamos hoje, veremos uma curva de crescimento muito expressiva no setor de alimentação fora do lar e mudanças muito importantes nos hábitos de consumo das pessoas.

Para se ter uma ideia, somente entre os anos de 2010 e 2016, o faturamento da indústria de alimentos cresceu quase 90% no país, segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia).

Nesse cenário de crescimento expressivo, a alimentação fora do lar representou cerca de 12,3% em média, mesmo diante de um momento de retração econômica.

Os números refletem tanto o investimento por parte dos empreendedores do ramo como também a mudança de hábitos dos brasileiros. 

Um exemplo simples é pensarmos na rotina de uma pessoa que trabalha presencialmente em um escritório ao longo do dia e, no período noturno, precisa se deslocar até alguma instituição de ensino para sua graduação ou especialização.

Pensando na logística de tempo e deslocamento dessa pessoa, muito provavelmente ela teve de recorrer a um serviço de alimentação fora do lar, seja todos os dias ou esporadicamente.

Para entender ainda mais sobre o setor de alimentação fora do lar nos últimos anos, considerando o cenário pré-pandemia, vale analisar também os dados do relatório de inteligência do SIS/Sebrae, de 2018.

No documento, são destacados alguns pontos relevantes que mostram outros fatores sociais que contribuíram para impulsionar o crescimento desse segmento, tais como crescimento demográfico, mudanças na estrutura familiar, aumento de renda individual e familiar e maior participação das mulheres no mercado de trabalho.

Outra informação muito interessante presente no relatório do SIS/Sebrae é sobre a divisão de preferência dos brasileiros quando se trata de alimentação fora do lar. 

Em 2018, os restaurantes por quilo mantinham a preferência.

  • 27% preferem alimentação em restaurantes por quilo;
  • 19% optam por lanchonetes e redes de fast-food;
  • 18% preferem restaurantes à la carte;
  • 18% escolhem padarias;
  • 11% realizam a alimentação em bares;
  • 6% consomem mais do comércio ambulante de alimentos.

Os principais desafios deste mercado

Um dos maiores desafios do mercado de alimentação fora do lar nos últimos anos foi o enfrentamento à pandemia de COVID-19. 

Com a necessidade de distanciamento social e medidas mais rigorosas de higienização, os bares e restaurantes tiveram de reformular toda a estratégia de atendimento e protocolos de segurança estabelecidos para controle e prevenção.

Por isso, de imediato, a entrega a domicílio se tornou a única maneira para muitos empreendedores de continuar atendendo e manter o estabelecimento aberto.

Ao olhar para o futuro, considerando a normalização de diversas atividades, é necessário considerar outras mudanças que foram provocadas pela pandemia, incluindo  de hábitos das pessoas.

Para se manterem na competição pelos consumidores, os estabelecimentos devem olhar para os principais desafios abaixo, mencionados pela Associação Brasileira de Indústria de Alimentos (ABIA):

  • Entender as mudanças de estilo de vida das pessoas que buscam uma alimentação mais prática, segura e saudável.
  • Ter maior participação do food service nas soluções oferecidas, pela intensificação da transformação digital;
  • Buscar adequação dos processos para a expansão acelerada de serviços de delivery e a permanência da tendência das dark kitchens.
  • Necessidade de ações para promover sustentabilidade e redução de impactos ambientais, etc.

Tendências de alimentação fora do lar

Para recuperar e impulsionar o crescimento do setor, os empreendedores da área de alimentação fora do lar e outras frentes podem optar por alguns caminhos que são tendências de mercado.

Algumas das tendências, como veremos, não são novidade, mas ainda são grandes vias com potencial de crescimento, especialmente com o uso da tecnologia como aliada. Veja:

Food trucks

Uma das principais tendências de alimentação fora do lar continua sendo os food trucks.

Esse tipo de empreendimento é uma excelente opção, tanto para o empreendedor como para o cliente, pois funcionam como um restaurante em quatro rodas, podendo assim variar o seu ponto de acordo com o movimento.

Geralmente, esses estabelecimentos costumam ser localizados em praças ou parques, locais abertos que permitem um maior distanciamento social entre os clientes.

Nesse tipo de empreendimento, o ideal é que você e sua equipe se tornem especialistas em algum tipo de comida específica.

Com um carro-chefe da casa é muito fácil administrar a cozinha, afinal, em um food truck  o espaço é reduzido.

Além disso, buscando uma especialização, é mais fácil encontrar uma receita fantástica e se destacar nas vendas por conta do sabor e do preço, além da agilidade de atendimento e preparo.

Comidas veganas e vegetarianas

Hoje, de acordo com dados da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), o Brasil conta com 30 milhões de vegetarianos e cerca de 7 milhões de veganos

São quase 40 milhões de pessoas e esse número não para de crescer.

Por isso, atingir esse público não só é uma ótima ideia, como também uma necessidade para bares, lanchonetes e restaurantes que visam lucratividade e satisfação do cliente.

Se você tem um restaurante e não possui opções vegetarianas e veganas no cardápio, essa é uma mudança que deve estar em seus planos.

Comfort food

A comfort food é um tipo de alimentação que tem como conceito o despertar da nostalgia e recordação de boas lembranças, como as refeições preparadas por pessoas queridas. O clássico “comida de vó”, por exemplo.

O principal da comfort food é que seja uma comida gostosa e que desperte uma recordação especial.

Na grande maioria, as comfort foods são pratos simples, como a comida caseira do dia a dia ou pratos típicos de determinada região.

Drive-Thru

O Drive-Thru é um sistema que já é utilizado há anos por grandes franquias de fast-food, tanto no Brasil como no mundo. 

Mesmo antes da pandemia, esse sistema de atendimento em que o cliente vai até a rede de alimentação e faz o pedido sem sair do carro já era bastante comum..

É daí que vem o nome Drive-Thru, pois, basicamente, é um sistema que consiste na entrega dos pedidos para os clientes dentro dos seus próprios carros.

Na pandemia de COVID-19, essa tendência se intensificou bastante e deve permanecer em alta. porque é um método seguro para que cada cliente faça o pedido e o aproveite como quiser: em seu próprio veículo ou em casa, em ambos os casos, evitando aglomerações e mantendo o distanciamento social.

De certa forma, essa tendência também lembra o sistema de atendimento Take Away.

A diferença é que, no Take Away, o cliente faz o pedido via aplicativo, WhatsApp, telefone ou site do restaurante. Após a confirmação do pedido, o restaurante dá uma estimativa de tempo para que esteja pronto e o cliente só passa para pegar sua refeição no balcão de retirada.

Nesse caso, o pagamento pode ser feito tanto via aplicativo ou na retirada.

Restaurantes com desperdício zero

Em sintonia com as novas demandas e preferências dos consumidores, destacam-se também os restaurantes com desperdício zero e que se comprometem com ações que visam reduzir o impacto ambiental.

Dentro das várias possibilidades de ação, é possível citar estratégias como o investimento em embalagens ecológicas, redução de emissão de poluentes e outras estratégias que promovam a sustentabilidade.

Dark kitchens

As dark kitchens, também chamadas de ghost Kitchens ou cloud Kitchens (Cozinhas Fantasmas ou Cozinhas na Nuvem, na tradução livre), são cozinhas especialmente projetadas para atender pedidos feitos exclusivamente por aplicativos de delivery.

Esse estilo de estabelecimento está em alta e a sua principal vantagem é não precisar de um salão, uma fachada ou estrutura para atender clientes presencialmente.

Essa economia também pode ser sentida na mão-de-obra de atendimento, que não é mais necessária, além dos aluguéis mais baratos em relação a pontos comerciais sofisticados e bem localizados em grandes centros.

Se você elaborar o projeto da maneira correta, esse corte de gastos pode te garantir uma grande vantagem competitiva perante a outros restaurantes consolidados, já que é possível oferecer preços mais atrativos para o consumidor final.

Grab and Go

Já o sistema Grab and Go é consolidado nos Estados Unidos há anos para refeições como café da manhã, almoço, jantar e pequenos lanches.

Trata-se de um ótimo investimento, pois ele consiste na oferta de refeições prontas, balanceadas, embaladas e dispostas em um ambiente no qual o cliente pega o que desejar, realiza o pagamento e sai da loja logo em seguida.

Mesmo com a flexibilização da quarentena, grande parte das pessoas, quando vão sair de casa, procuram ainda passar o menor tempo possível em estabelecimentos.

Por esse motivo, oferecer essa opção de refeições embaladas para viagem para os seus clientes é uma ótima oportunidade para lucrar mais.

Serviços por assinatura

Os serviços por assinatura deixaram de ser uma exclusividade no setor de entretenimento.

Atualmente, existem várias empresas do ramo alimentício apostando nos serviços por assinatura, com a proposta de entrega periódica de produtos selecionados para os clientes.

Nesse tipo de serviço, há tanto o atendimento de demanda de marmitas caseiras, alimentação saudável, congelados, seleção de hortifruti, assim como também há o espaço para nichos mais específicos e menus especiais, como degustação de queijos e frios.

Confira também: Aplicativo de supermercado: 7 motivos para o seu varejo ter um

A tecnologia como diferencial competitivo para restaurantes e pequenos negócios

O uso da tecnologia aplicada aos serviços de alimentação é uma das principais formas de operar um estabelecimento com produtividade, otimização em serviços de entregas e redução de desperdício.

Com o uso de tecnologias criadas por empresas de Foodtech, por exemplo, é possível trabalhar com processos mais ágeis em toda a cadeia de produção, o que, consequentemente, colabora para o crescimento e desenvolvimento de restaurantes e pequenos negócios.

Neste cenário pós-pandemia, adotar um sistema para food service é mais que um diferencial, é uma necessidade para se manter competitivo

Nova call to action

TOTVS Varejo Food Service

Ao longo deste conteúdo, vimos alguns dos principais desafios e tendências para o setor de alimentação fora do lar.

Sem dúvidas, para uma retomada acelerada do segmento, a aposta em sistemas para food service e o uso da tecnologia são indispensáveis, assim como ações que visam melhorar a experiência do cliente e ações que visam proporcionar ainda mais segurança para essa volta do cliente pós-pandemia.

Para que isso seja possível, os empreendedores podem contar com o TOTVS Varejo Food Service, desenvolvido para otimizar a gestão das empresas do setor alimentício, promover uma boa organização e levar mais agilidade aos processos.

Esse sistema TOTVS visa atender tanto às necessidades administrativas como operacionais dos mais variados tipos de estabelecimento no ramo de food service, como bares, restaurantes, confeitarias, redes de franquias, confeitarias, fast-food e muitos outros.

Faça como mais de 9 mil clientes e descubra todas as vantagens da TOTVS Varejo Food Service.

Se você gostou desse conteúdo, continue a leitura para saber mais sobre o que é, como funciona e as vantagens do omnichannel para restaurantes.

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.