procedimentos de segurança da informação

Explicamos os procedimentos de segurança da informação que você deve adotar

Equipe TOTVS | GESTÃO DE NEGÓCIOS | 12 dezembro, 2018

Certamente um dos temas mais atuais e de maior relevância no contexto corporativo, a segurança da informação merece toda atenção por parte dos gestores e líderes. A verdade é que, hoje, em razão da necessidade de se obter dados e informações imprescindíveis para as organizações e da carência de sistemas e softwares para as atividades, é crucial implantar procedimentos de segurança da informação com o objetivo de prevenir riscos.

Atualmente, ações maliciosas voltadas à invasão de sistemas empresariais, quebra de sigilo de dados e ataques cibernéticos estão altamente sofisticados. Nesse sentido, empresas que não detém o aparato necessário para se proteger certamente estão colocando as suas atividades em risco, sob pena de pagar com máculas à sua imagem, ruptura na segurança de dados de clientes e muitos outros prejuízos.

Cientes da importância da segurança da informação, preparamos este post para aprofundar um pouco mais a discussão sobre o tema. A seguir, você poderá descobrir o que é segurança da informação, seus pilares, sua importância e, principalmente, como promovê-la. Continue a leitura e confira!

O conceito por trás da segurança da informação

Assim como o próprio termo indica, a segurança da informação nada mais é do que a união de esforços e medidas voltadas para a defesa dos dados, principalmente aqueles mais sensíveis, de usuários e organizações.

Em síntese, o grande cerne da segurança da informação está em manter o acesso aos dados sempre protegido, isto é, livre de invasões e outras ações maliciosas que podem comprometer o sigilo, a integridade e o valor das informações.

Para tanto, como veremos mais adiante, existem diversas maneiras de garantir uma comunicação segura dos dados, restringindo o acesso somente por quem, de fato, está autorizado a fazê-lo.

LGPD_Masterclass_Tudo_sobre

Os pilares da segurança da informação

A segurança da informação moderna se apoia, basicamente, em três pilares: confidencialidade, integridade e disponibilidade. Entenda melhor cada um deles a seguir!

Confidencialidade

Esse conceito se relaciona com o ideal de privacidade das informações, isto é, da restrição do acesso. A segurança da informação, nesse ponto, é pensada e implantada para garantir o total sigilo de dados sensíveis, evitando que ações maliciosas possam expor o seu conteúdo, causando toda sorte de prejuízos para a organização.

Integridade

Por outro lado, a integridade está associada à confiabilidade dos dados. Ou seja, por esse viés, o foco maior está em garantir que as informações se mantenham exatas, livre de alterações e possam ser empregadas de maneira eficiente pela empresa.

Vale mencionar que a integridade é de extrema relevância no cenário empresarial atual, em que as decisões precisam se embasar em dados concretos e precisos. Por isso, qualquer interferência externa pode corromper as informações, conduzindo profissionais a decisões equivocadas e que podem causar perda de competitividade.

Disponibilidade

Aqui, o foco está em manter os dados e as informações sempre ativos, acessíveis e disponíveis para serem utilizados. Atualmente, como as companhias estão se valendo cada dia mais de sistemas de informação, qualquer ruptura na disponibilidade deles pode inviabilizar decisões, contratos, vendas e outras ações necessárias, além de prejudicar a relação com o cliente.

A importância da segurança da informação

Como vimos, é nítido que, hoje mais do que nunca, a segurança da informação tem uma grande importância para as organizações. Sem políticas adequadas para garantir esse conceito, os riscos de acessos indesejados, quebra de sigilo e fraudes nas comunicações são problemas constantes.

Os dados hoje ocupam a posição de verdadeiros ativos para as empresas, sendo eles indispensáveis para a tomada de decisão, para o relacionamento com o cliente e para a gestão empresarial como um todo. Logo, algo que é tão valioso merece uma proteção robusta, já que indivíduos mal-intencionados reconhecem o valor desses dados e vão querer se apropriar deles para tirar algum tipo de vantagem.

Nesse sentido, é fundamental investir em metodologias que garantam essa proteção, blindando os sistemas e as informações da empresa contra qualquer ação externa que possa prejudicá-la. Confira, a seguir, quais recursos e ações podem ser adotadas.

Os procedimentos de segurança da informação indispensáveis

Política de segurança da informação

Antes de investir em infraestrutura, a empresa precisa preparar a sua cultura interna para a segurança da informação. Nesse ponto, por exemplo, é indispensável criar e implantar uma política que reforce esse ideal, incutindo na mente de cada membro a relevância desse tema.

De nada adianta altos investimentos em equipamentos, softwares e soluções de segurança, se os recursos humanos da organização ainda não estão alinhados. Assim, o primeiro passo é conscientizar, educar, treinar e preparar o ambiente para, então, seguir com o processo.

Automatização de backups

Como se viu, a disponibilidade é um dos pilares da segurança da informação. Nesse sentido, a automatização de backups é uma das ações mais importantes para reforçar essa disponibilidade.

A política de backups é o que garante que os dados se manterão resguardados, protegidos e acessíveis, mesmo em situações críticas, em que o repositório central for comprometido, por exemplo. A automatização, nesse ponto, evita erros humanos, como o esquecimento de gerar cópias dos dados, e otimiza o cronograma de backup ao aumentar o rigor dessa importante tarefa.

Implantação da gestão de riscos de TI

A segurança da informação também precisa se apoiar em estratégias de prevenção, antecipando riscos e gerindo-os da maneira menos prejudicial possível. Por essa razão, também é altamente recomendado que a empresa trabalhe com uma gestão de riscos de TI, na qual os profissionais estejam ativamente verificando os sistemas, procurando falhas e identificando pontos de atenção que podem dar margem a rupturas na segurança.

Além de ser uma forma mais econômica de aumentar o controle sobre as informações, é a forma mais eficiente de blindar os dados da companhia, solucionando falhas antes mesmo que elas evoluam para algo mais catastrófico.

Utilização de ferramentas de criptografia para senhas

Outro procedimento de segurança da informação que toda empresa precisa adotar são as ferramentas de criptografia para senhas. Essa é, talvez, a medida mais básica para proteger o acesso aos sistemas, sobretudo quando a comunicação é feita pela Internet.

A criptografia é um recurso de segurança que impede que o conteúdo das senhas possa ser acessado por softwares maliciosos, hackers etc. A tecnologia utiliza chaves próprias para embaralhar os caracteres, inviabilizando a leitura da informação, ainda que o sistema tenha sido invadido.

Sem a chave criptográfica, dificilmente se consegue traduzir o conteúdo, o que impede que criminosos se apropriem de credenciais de acesso dos funcionários de uma empresa, por exemplo.

Configuração de firewalls

Em tempos de jornada digital, o meio online e a utilização da rede para as comunicações e operações empresariais é massiva. Logo, os riscos nessas atividades também são. No entanto, uma das maneiras de proteger as informações da empresa é por meio de firewalls.

Na prática, essa tecnologia é o que qualifica a comunicação de dados entre empresas e fontes externas. Ela funciona filtrando o fluxo de dados, permitindo somente acessos autorizados em portas específicas.

Atualmente, grande parte dos sistemas operacionais já incluem firewalls. Porém, quando se trata de empresas, em que os dados são os bens mais valiosos, é preciso adotar sistemas ainda mais robustos e configurações mais sensíveis, o que requer apoio especializado de profissionais de TI.

Instalação e atualização constante de software anti-vírus

Conforme o tempo passa e os recursos de segurança da informação se tornam mais eficientes e abrangentes, os riscos também seguem pelo mesmo caminho. Diariamente são criados novos softwares maliciosos, malwares e tantas outras “pragas virtuais” para burlar a segurança dos dados.

Por esse motivo, é fundamental que a empresa não só instale softwares de anti-vírus em suas máquinas e sistemas, mas mantenha-as sempre atualizadas, para que estejam aptas a identificar e combater ameaças em tempo integral.

Por fim, como foi possível perceber ao longo deste artigo, os procedimentos de segurança da informação precisam estar incluídos na rotina de qualquer empresa. Ações como as que citamos são a base para o reforço na integridade das atividades empresariais, evitando que o valor dos seus dados seja posto a perder e prejuízos à imagem do negócio causem danos irreparáveis.

Gostou deste artigo? Deseja seguir se informando mais com as nossas publicações e novidades? Siga-nos nas redes sociais. Estamos presentes no LinkedIn, YouTube e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *