NFC: para que serve, vantagens e como aplicar a tecnologia em seu negócio

Equipe TOTVS | 21 dezembro, 2021

A cada dia vemos smartphones mais avançados, com tecnologias que se superam ano após ano, e com funcionalidades que mostram tendências do futuro para o nosso cotidiano. Uma dessas soluções é a NFC.

A sigla, que em inglês significa Near Field Communication (“comunicação por campo de proximidade”), é uma tecnologia que realiza trocas de informações sem a necessidade de fios entre dois dispositivos, desde que eles estejam próximos.

Uma das tecnologias proporcionadas pela solução é o contactless, dos cartões de crédito e débito, em que você realiza o pagamento por aproximação do cartão com a maquininha. Para saber mais sobre o conceito, como ele funciona e o que ele pode oferecer em um futuro próximo, acompanhe este artigo.

O que é NFC?

Quando perguntam o que é NFC, a resposta mais rápida é exatamente a citada acima: a tecnologia de pagamento por aproximação, presente em muitos cartões de crédito e débito brasileiros.

No entanto, essa tecnologia pode nos trazer diversas outras facilidades, causando um impacto enorme no cotidiano das pessoas e, consequentemente, nos negócios e empresas que desejam estar sempre um passo à frente dos seus concorrentes.

Ela permite a troca de informações sem fio e sem a necessidade de ter configurações prévias, podendo atuar com qualquer dispositivo que tenha um chip adaptado para a tecnologia.

Caso você já esteja familiarizado com alguns termos da tecnologia de identificação sem fio, provavelmente já ouviu falar em “RFID” ou Identificação por Radiofrequência.

A NFC é como uma evolução do RFID, no qual dois chips NFCs, quando próximos um do outro, são ativados em uma operação sem fio e que desencadeia uma troca de dados entre os dois dispositivos em questão, transferindo uma pequena quantidade de informações.

Nesse cenário, portanto, ela é feita de maneira automática, o que traz agilidade em cada processo que atua, gerando uma ordem automática para o que a tecnologia está programada para executar.

Como surgiu a NFC?

A história da NFC remonta ao meio da década de 2000, quando as marcas Sony, Philips e Nokia se juntaram para criar uma tecnologia de comunicação por aproximação que oferecesse maiores recursos e proteção do que o RFID.

Essa união ocorreu em 2004, mas a tecnologia veio a ter suas primeiras aplicações apenas em 2006, com as tags NFC.

Na prática, eram como pequenos adesivos que continham informações compatíveis com um dispositivo leitor de NFC.

Ainda em 2006, foram criados os “smart posters”, que semelhantes às tags, também podiam ser lidos por dispositivos compatíveis com NFC.

Foi nesse período também que o primeiro celular compatível com NFC foi lançado, o Nokia 6131. Na época, sua capacidade era limitada pelas poucas especificações tecnológicas que a NFC possuía.

Com o passar do tempo, a NFC ganhou corpo e passou a ser utilizada como meio de pagamento, compartilhamento de vídeos, convite para acessar aplicativos, entre várias outras aplicações.

NFC Fórum

O NFC Forum foi formado em 2004, com a união da Sony, Philips e Nokia para repensar as tecnologias de comunicação por aproximação.

O objetivo do grupo era justamente juntar esforços para desenvolver a tecnologia de NFC, bem como promover meios de utilizá-la e reforçá-la diante dos crescentes desafios de cibersegurança.

Hoje, outras grandes marcas fazem parte do NFC Forum, como LG, Motorola, Samsung, Visa, Mastercard, Paypal, entre muitas outras.

O projeto StoLPaN

O projeto StoLPaN também faz parte da história da NFC. Foi um consórcio que funcionou durante três anos, de 2006 a 2009, e que possuía um capital de 8 milhões de euros para trabalhar em cima do desenvolvimento da NFC e na sua aplicação em celulares.

Enquanto o NFC Forum tinha um foco mais abrangente na evolução da tecnologia, o projeto StoLPaN focava no desenvolvimento das operações financeiras realizadas com a NFC.

Na prática, o projeto StoLPaN visava a melhoria da experiência de compra, bem como um processo de vendas mais eficiente e rápido.

Neste projeto, foi criado um protótipo de sistema de pagamento mobile que serviu de base para muitos sistemas atuais.

Para que serve a NFC?

A NFC serve para uma ampla variedade de necessidades no comércio atual, assim como para agilizar vários processos na rotina das pessoas: de facilitar pagamentos com cartão de crédito até o aparelhamento de dispositivos (como fones de ouvido wireless).

A verdade é que a NFC ainda é uma tecnologia em evolução.

Entre 2018 e 2020, de acordo com dados da Blue Bite, as ativações por meio de NFC cresceram 71%.

Além disso, conforme dados da ABI Research, até 2024, estima-se que existam mais de 1,6 bilhões de dispositivos habilitados para NFC, o que fará esse mercado específico atingir valor de até US$ 47 bilhões no mesmo ano.

Na prática, falamos da tecnologia (não a única, mas uma das principais) que habilita que smartphones e smart devices possam realizar pagamentos.

É por meio da NFC que carteiras digitais (a partir do método de “comunicação em uma via”) como o Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay funcionam, por exemplo.

Além disso, ela pode servir para a transferência de arquivos (no método conhecido como “comunicação em duas vias”). É o caso do AirDrop, próprio de usuários de dispositivos iOS e macOS, da Apple.

Como a NFC funciona?

A maneira com que as informações são passadas de um dispositivo para o outro é a grande questão sobre como funciona a NFC. Para que a tecnologia opere, é criado um link em uma frequência de rádio de curta distância, que consegue transferir pequenas quantidades de informações entre dois aparelhos, quando posicionados em uma curta distância entre eles.

A diferença entre NFC e Bluetooth é que na primeira não há a necessidade de pareamento dos aparelhos em questão, o que facilita na transmissão de dados e também na agilidade com que é feito o processo de transferência das informações.

A NFC é pensada para ser segura, impedindo a invasão de terceiros no momento da troca de dados. Para que isso aconteça, as transmissões são feitas de modo que os receptores sejam passivos, enquanto as fontes são ativas.

Como mencionamos, a tecnologia surge a partir da RFID (Radio Frequency Identification), que também permite a comunicação de dois aparelhos.

Nesse caso, ela é feita à longa distância, com um dos aparelhos agindo como fonte de energia enquanto o outro não tem a necessidade de uma fonte de energia própria.

Como a RFID tem uma abrangência maior, ela pode ser usada em empresas para integrar sistemas, automatizar e otimizar processos gerais e fazer o rastreio de cargas e objetos. É uma tecnologia bastante usada em setores como distribuição, industrial, varejo e logística.

Em quais funções a NFC pode atuar?

O conceito sobre o que é Near Field Communication pode ser aplicado em inúmeras funções, que vão desde ligar e desligar as luzes de uma casa até mesmo substituir os códigos de barras. Confira algumas tecnologias que podem estar disponíveis no seu cotidiano pessoal ou da sua empresa:

Pagamentos

Como dito anteriormente, a NFC é usada para efetuar pagamentos por contato, em que o usuário encosta seu cartão de crédito, relógio ou smartphone em uma maquininha e a tecnologia realiza o pagamento, sem a necessidade de uma senha ou comando para que isso aconteça, deixando o ato muito mais rápido e eficiente, o que otimiza o tempo no processo de venda do varejo.

Além disso, a tecnologia já permite, em alguns locais, que o smartphone ou o próprio cartão de crédito realize pagamentos de serviços como transporte público, em ônibus e metrôs.

Troca de fotos e arquivos

Com dois smartphones que possuem a tecnologia, é possível realizar o envio de fotos e outros arquivos apenas aproximando os dois aparelhos.

É necessário apenas habilitar a função, aproximar os aparelhos e confirmar o envio dos dados para que o outro smartphone receba seus conteúdos. Isso pode ser usado no compartilhamento de informações em uma reunião, por exemplo.

Reprodução de música

Hoje, vários dispositivos móveis fora do comum (como é o caso de smartphones, smartwatches etc.) possuem um chip NFC e são compatíveis com a tecnologia.

É o caso de caixas de som ou fones de ouvido wireless.

Quando próximos de uma unidade de som (como um aparelho reprodutor de música), possibilitam aparelhamento instantâneo e permitem que as pessoas ouçam música apenas pela proximidade dos dispositivos.

Vantagens da NFC

Existem vários benefícios atrelados ao uso da NFC, seja pelo varejo, pelas empresas em seus produtos e campanhas de marketing, bem como pelos clientes. Entre os principais, destacamos:

Maior conveniência e facilidade de uso

Cada vez mais, os consumidores exigem maior conveniência para realizar suas compras. É um dos reflexos da transformação digital.

Não à toa, hoje, em quase todas as situações, os consumidores geralmente procuram a opção mais rápida, fácil e conveniente.

A NFC, felizmente, proporciona isso, facilitando o pagamento e demais operações — já que basta segurar o cartão ou smart device próximo da maquininha.

Esse é um ponto extremamente positivo, já que hoje em dia as pessoas não costumam carregar dinheiro físico ou mesmo levam a carteira consigo — no entanto, o celular sempre levam.

E claro, para aqueles que ainda preferem cartões, os cartões habilitados para NFC fornecem a mesma funcionalidade.

Melhor eficiência operacional

Com a NFC, você permite que os clientes realizem compras de maneira mais rápida, reduzindo o tempo de espera dos clientes no PDV, processando pedidos mais rapidamente e fazendo uma melhor gestão de filas.

Um dos grandes benefícios da NFC é que ajuda a acelerar o checkout no caixa, aumentando a satisfação do cliente com o seu negócio.

Isso representa uma eficiência operacional para empresas com alto volume de transações no caixa.

Implementação simplificada

Outro ponto positivo da NFC é que é muito fácil de implementar.

Basta contar com terminais de pagamento (as famosas maquininhas de cartão) habilitadas com a tecnologia, bem como sistemas PDV integrados que façam a comunicação dos dados de fluxo de caixa automaticamente.

Felizmente, a maioria dos equipamentos de pagamento atuais já possuem a tecnologia de NFC e apresentam uma configuração bem simples.

Maior segurança nas operações

Sabemos que um dos principais pontos de preocupação sobre o NFC é a segurança. Se a proximidade é considerada um fator de segurança, como garantir que seu negócio não seja prejudicado?

O NFC atua de forma a mitigar os riscos. Primeiro, as operações apenas acontecem quando os dispositivos estão há centímetros um do outro.

Além disso, os sinais de Near Field Communication não podem ser hackeados, pois são tokenizados — ou seja, nem que o hacker que esteja tentando invadir os dados da conta de seu cliente se posicionar ao lado dele, ele conseguirá ler as informações.

Além das proteções da própria tecnologia, os smartphones normalmente incluem uma camada adicional de autenticação pessoal, como a necessidade de inserção de senhas, leitura biométrica ou reconhecimento facial.

O mesmo acontece com bancos que oferecem cartões habilitados para NFC. Se a transação ultrapassar determinado valor máximo (como R$ 50), a senha do cliente será requisitada.

Desvantagens

Mas é claro que, como qualquer inovação, o NFC possui suas limitações e alguns pontos que podem ser observados como desvantagens. Quais? Separamos uma lista dos principais, confira:

  • Funciona somente em distâncias curtas, de 10 a 20 cm;
  • As taxas de transferência de dados ainda são bem baixas, de 106 a no máximo 424 Kbps;
  • Há o risco do consumidor ter seu cartão roubado e o criminoso se aproveitar do NFC para realizar algumas transações (de valores baixos, especificamente);
  • O consumo de energia é maior em dispositivos habilitados para NFC.

Quais as diferenças entre NFC e bluetooth?

O princípio do Bluetooth é bastante semelhante ao do NFC. Ambas as tecnologias têm como objetivo transferir dados por meio de ondas de rádio. No entanto, elas não são iguais.

Para começar, apesar de ambas funcionarem com radiofrequência, a NFC é mais rápida que o bluetooth e utiliza corrente elétrica para realizar o envio de informações.

O Bluetooth, por sua vez, realiza essa movimentação por meio de frequências de rádio.

No entanto, essa vantagem da NFC sobre o Bluetooth vem a um preço: a distância. Você precisa estar a no máximo 10 ou 20 cm do dispositivo habilitado para NFC para realizar uma transação.

Já o Bluetooth permite que essa distância seja maior (de alguns metros, por exemplo).

Essas diferenças técnicas impactam também na usabilidade da tecnologia.

Parear dispositivos Bluetooth (mesmo quando próximos) por vezes é chato e frustrante, enquanto a NFC oferece uma experiência mais suave e objetiva.

Aqui, vale ressaltar outro ponto: a NFC é uma tecnologia que habilita a transferência de dados apenas pela aproximação dos dispositivos.

Já o Bluetooth exige que os dispositivos, antes de trocarem quaisquer dados, estejam pareados.

NFC em celulares

A NFC é uma tecnologia muito comum hoje em dia em celulares. Qualquer um que comprou algum celular lançado nos últimos anos, possivelmente já conta com a NFC em seu dispositivo e pode utilizá-la para várias tarefas, como pagamento por meio de carteiras digitais.

Quais os celulares têm NFC?

Existem vários celulares hoje em dia com a tecnologia NFC. Os últimos modelos de marcas como Samsung, Apple, Xiaomi, Motorola e Google possuem o chip habilitado.

Como identificar se o celular tem NFC?

E agora, como saber se o seu celular é habilitado para NFC? Bom, existem algumas formas de conferir e ativar.

Para usuários de iPhone, o iOS já conta com a tecnologia desde o iPhone 6, lançado ainda no começo da década passada.

Caso você tenha um iPhone 6 ou de modelo superior, pode ter certeza: você possui um chip habilitado para NFC. Isso quer dizer que você pode utilizar a carteira digital da marca, o Apple Pay, por exemplo.

Agora, para celulares com sistema operacional Android será necessário fazer uma breve investigação:

  • Primeiro, abra a barra de ferramentas do seu dispositivo (aquela que aparece quando você arrasta para baixo) e localize o ícone NFC. Se aparecer, você poderá habilitá-lo ou desabilitá-lo quando quiser.
  • Outro modo é acessando a parte de “Configurações” e “Conexões”. Se o celular conta com NFC, será possível ativar ou desativar as operações ali.

Como colocar NFC no celular?

Sim, existe uma forma de colocar NFC no celular. Pode parecer estranho, mas para dispositivos que não possuem a tecnologia, é possível colocar uma tag NFC na traseira do celular.

Nesse caso, recomendamos que você analise exatamente quais as especificações da tag que comprar, bem como a forma de configurá-la corretamente.

Meu celular não tem NFC, o que fazer?

Para celulares que não possuem NFC de forma nativa, você tem duas opções: uma é colar uma etiqueta NFC que ajude você a realizar as operações que necessita.

A outra opção é trocar de dispositivo e atualizar seu celular por um mais novo.

Como funcionam as tags NFC?

Existem muitos aparelhos que já possuem a tecnologia integrada, tornando o acesso fácil, ou seja, apenas com seu smartphone ou cartão, você já consegue executar tarefas que usam a tecnologia NFC. No entanto, há como criar tarefas com tags NFC.

As tags NFC são etiquetas com chips passivos, que possuem comandos específicos ao serem acionadas. Podem, portanto, funcionar como um botão físico que abre aplicativos, cria rotinas e executa tarefas simples de uma empresa ou pessoal. Veja algumas utilidades das etiquetas:

  • Controle de acessos: com tags, é possível ter um controle exato do fluxo de pessoas por setores de uma empresa, por exemplo. Dessa forma, é possível limitar e liberar acessos, além de fazer o controle de ponto dos funcionários;
  • Marketing e promoções: ao inserir etiquetas NFC em cartazes, por exemplo, é possível colocar informações como a localização do estabelecimento via Google Maps, disponibilizar promoções e até permitir a compra de ingressos ou produtos;
  • Gestão de informações: ao fazer uso da tecnologia, é possível também disponibilizar os dados diretamente nos smartphones dos funcionários, realizando a gestão de informações como estoque, tarefas do dia, boletins médicos e estudantis e mudanças de diretrizes de uma empresa,
  • Casas e empresas inteligentes: com etiquetas NFC, é possível criar tarefas como apagar e acender luzes, conectar smartphones a aparelhos variados, fornecer acesso ao Wi-Fi, ligar computadores e até tornar carros conectados, o que torna as atividades diárias ainda mais fáceis.

Como ativar a função NFC?

No seu celular, você pode ativar ou desativar a função NFC tanto acessando a barra de ferramentas (arrastando para baixo na tela inicial) ou nas Configurações do aparelho.

É um processo bem simples, mas que pode mudar de dispositivo para dispositivo.

A tecnologia NFC é segura?

A tecnologia NFC é segura pois todas as transferências de dados são tokenizadas — ou seja, existe um grau de criptografia que não pode ser desvendada por um hacker que tente se aproveitar de alguma brecha.

Além disso, a proximidade exigida pela tecnologia (entre 10 e 20 cm dos dois aparelhos habilitados) mitiga a ação de cibercriminosos que pudessem tentar interceptar a operação sem fio.

Além disso, os próprios celulares e bancos aplicam diferentes gatilhos de segurança para garantir que seus clientes não sejam afetados por furtos, por exemplo.

Assim, em transações que ultrapassem certo valor máximo definido, a senha é exigida. Além disso, dependendo do celular, será necessário que o cliente autentique as transações com uso de senha no celular, identificação biométrica ou reconhecimento facial.

NFC: a tecnologia aplicada aos negócios

A NFC tem grande valor para os negócios atualmente, especialmente para o varejo. É uma forma das empresas que contam com lojas físicas simplificar a experiência de compras, tornando-a mais rápida e com menos fricção.

De acordo com relatório da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), em 2020, cerca de R$ 41 bilhões foram movimentados no Brasil com a tecnologia NFC.

Um crescimento de 470% em relação a 2019, obviamente estimulado pela pandemia e pelos riscos do contato social.

Fique conectado com a TOTVS

Tecnologia integrada à família de produtos de PDV da TOTVS, o TOTVS Pagamento TEF é um terminal de pagamentos flexível e de simples operação, permitindo um melhor controle das entradas em seu caixa.

Essa é uma ferramenta que possibilita, entre outras coisas, que você ofereça o pagamento por aproximação em seu negócio!

Porém, o TOTVS Pagamento TEF proporciona muito mais, como o controle e visualização das entradas por cartão e a integração dos dados de vendas com seu sistema PDV.

Como o TOTVS Pagamento TEF funciona? Hospedado na nuvem, demanda apenas um terminal de computador, um pinpad e conexão à Internet para colocá-lo em seu negócio.

Assim, você oferece os tipos de pagamento que seu consumidor prefere, fortalecendo sua competitividade, bem como ganhando vantagens incríveis na gestão financeira.

Isto porque o TOTVS Pagamento TEF permite também a conciliação de cartões e oferece um portal de transações para que você acompanhe as vendas em tempo real.

Que tal contar com todo potencial do TOTVS Pagamento TEF na sua operação? Confira mais sobre as tecnologias de conectividade da TOTVS!

Nova call to action

Conclusão

Agora que você sabe o que é Near Field Communication, fique de olho em nossos conteúdos para saber muito mais sobre tecnologia e como aplicá-la em seu negócio.

Dessa forma, você tem uma jornada digital eficiente, que é um grande benefício para a sua empresa, compreende as novas necessidades tecnológicas e sempre se antecipa às tendências e novidades do mercado. E quando falamos em pioneirismo tecnológico no país, não tem como não falar da TOTVS! Somos líderes em tecnologia no Brasil, sempre com as maiores tendências do mercado, levando qualidade para a sua empresa. Se quer saber mais sobre RFID, confira nosso outro artigo sobre o tema!

Artigos Relacionados

Deixe aqui seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Usamos cookies para fornecer os recursos e serviços oferecidos em nosso site para melhorar a experência do usuário. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso destes cookies. Leia nossa Política de Cookies para saber mais.